Áudios prometendo atentados em instituições de ensino de Conquista geram apreensão; Ouça


Nesta quarta-feira (27) diversos áudios circularam entre os ‘whatsapps’ dos conquistenses com ameaças de massacres, ao estilo do ocorrido em Suzano (SP), em instituições de ensino e  supermercados da cidade. Em um deles, aparentemente gravado em Salvador, uma voz diz: “Um aviso para todas as escolas da Bahia (…), vamos entrar sem dó nenhuma, chegar matando quem tiver nessa porra, nós é brabo,porra, quem tiver na frente vai levar tiro, caralho”. Outro áudio identifica o grupo que seria o autor das ameaças: “Então mano, são os loucos da Mata Escura, que ameaçou invadir Conquista e matando geral, diz eles que vão fazer um massacre”. Em mais um áudio, com a voz modificada por um sintetizador, o criminoso fala: “Vocês não estão acreditando no nosso massacre, então veremos, a partir da quarta-feira, veremos o massacre em toda a Bahia, nas escolas, restaurantes e supermercados”.

A partir daí, diversas outras mensagens de voz começaram a circular com avisos de que a Fainor e Uesb seriam os primeiros alvos. Nestes áudios, um estudante da Fainor começou a ser apontado como um dos criminosos que estaria envolvido na série de ameaças. “Peguei informações aqui de que uma pessoa com clareza falou que tem um rapaz da Fainor que falou que a vontade dele era matar todo mundo”.

OUÇA OS ÁUDIOS:

O aluno acusado no áudio é Celso Porto, estudante de arquitetura. Em nota, Celso desmentiu o boato e disse ser vítima de difamação.  “Alguém entrou no meu instagram e pegou um monte de print de coisas que eu posto quando estou me sentindo mal e colocaram completamente fora de contexto pra espalhar que eu supostamente iria invadir a fainor e fazer um massacre ou qualquer baboseira desse tipo”, disse. Porto afirma sofrer de depressão, mas que jamais pensou em machucar ninguém. Ele acredita que uma pessoa da sua própria sala seja a responsável pela disseminação da ‘fake news’ com seu nome e promete acionar a direção da Fainor para tomar as medidas cabíveis. (Confira a íntegra da carta no final da matéria)

FAINOR EMITE NOTA

“Sobre rumores que tem se espalhado virtualmente nesta quarta-feira, a FAINOR informa que, por precaução, já entrou em contato com a Polícia Militar para inibir possíveis ações mal intencionadas no campus e arredores. A PM vai intensificar a segurança até que os fatos sejam esclarecidos. A FAINOR reitera sua constante vigilância em relação à segurança da nossa comunidade acadêmica e se coloca à disposição para quaisquer esclarecimentos”.

UESB EMITE NOTA

“A Administração Central da Uesb, em face da recente onda de boatos e supostas ameaças de uso de violência contra instituições educacionais públicas, disseminados sobretudo por meio de meios digitais e comunidades virtuais, esclarece à comunidade universitária e à sociedade em geral da região Sudoeste da Bahia, que suas atividades acadêmicas e administrativas estão mantidas e que providências estão sendo adotadas no sentido de que tais atividades se desenvolvam em ambiente de tranquilidade e segurança.

Os gestores da Universidade estão em contato constante com as autoridades responsáveis pela Segurança Pública na região, em relação de mútuo respeito e confiança, e em monitoramento constante sobre as repercussões de tais boatos e ameaças nos ambientes de convívio público nos municípios de Vitória da Conquista, Itapetinga e Jequié.

Esclarecemos que, nesta quinta-feira, dia 28 de março, os portões principais de acesso aos campi da Uesb estarão fechados até as 10 horas, em função de atividade sindical promovida pela categoria dos servidores técnicos e analistas universitários da instituição. Mas tal atividade não afetará o andamento das atividades acadêmicas, uma vez que está assegurado o acesso aos campi por seus portões secundários.

A Uesb lamenta a ação de indivíduos que parecem ter como objetivo a disseminação da sensação de insegurança e pânico entre a população e que adotam, como alvo preferencial, instituições essenciais para a vida pública como as universidades, locais reconhecidos de conhecimento, descobertas e liberdade”

CELSO PORTO, ALUNO DA  FAINOR, ACUSADO DE TERRORISTA, EMITE NOTA

“Boa noite, gente.

Celso Porto (Instagram)

Alguns aqui ainda não me conhecem. Meu nome é Celso Porto, sou o líder do 7o vespertino e representante dos lideres entre o corpo docente. Caso alguém esteja se perguntando, estão rolando alguns boatos mal intencionados a meu respeito envolvendo essa história aí desses tais áudios. Eu já estava dormindo aqui já pra acordar cedo amanhã pra estudar e trabalhar e levantei com um amigo meu e até meu professor da academia que é ex aluno da fainor me ligando desesperados pra saberem o que supostamente “estava acontecendo”, se eu estava bem e etc.

Resumindo, aparentemente alguém entrou no meu instagram e pegou um monte de print de coisas que eu posto quando estou me sentindo mal e colocaram completamente fora de contexto pra espalhar que eu supostamente iria invadir a fainor e fazer um massacre ou qualquer baboseira desse tipo.

Primeiro eu gostaria de dizer que sei como e quem iniciou e difundiu os boatos e vou estar tomando as providências legais cabíveis o mais breve possível pelos crimes de difamação, injúria e ameaça na defensoria pública do município.

Segundo, quem me conhece faz a mais tempo sabe que eu sou incapaz de machucar uma mosca que seja. Sempre trato todos com muita educação e respeito, gentileza e tento ajudar em tudo que posso mesmo quando tenho algo a perder. Eu me sinto extremamente constrangido, triste e praticamente violado por ter de ter que estar citando isso aqui, mas eu sofri e ainda sofro com depressão desde MUITO novo e passei por inúmeras situações na vida que teriam feito até a pessoa mais forte se sentir triste, sozinha e sem esperança. Mesmo assim lá estou eu todo dia levantando cedo, correndo atrás dos meus sonhos com um sorriso no rosto, muitas vezes sem nem saber o porque eu ainda levanto da cama, mas continuo seguindo da única forma que eu conheço: a honesta.

Pra quem espalhou essas mentiras horrorosas a meu respeito, sinto muitíssimo se sua intenção foi me prejudicar, mas se há algo que eu aprendi apanhando nessa vida é que sofrimento só nos faz mais fortes se tivermos a mente e o coração pra transformarmos essa maldade em algo bom não só pra nós, mas principalmente pra nossos amigos e pessoas queridas ao nosso lado.

Me dói ter que dizer isso aqui especificamente nesse grupo, mas inclusive, alguém de confiança me disse que uma das pessoas envolvidas nessas fake news é da minha própria sala. Eu estou penando pra acreditar, mas não duvido mais de nada nessa vida. Estou tomando providências para que o corpo docente e o corpo administrativo da FAINOR também fiquem cientes e tomem as providencias que acharem necessárias.

Enfim, peço desculpas por quaisquer transtornos e gostaria de pedir a vocês que encaminhem essa mensagem aos grupos das salas de vocês. Estou aberto a quaisquer perguntas que vocês tenham e para quaisquer esclarecimentos. Boa noite”.

Até o fechamento desta postagem a Polícia Militar da Bahia não se pronunciou oficialmente sobre o caso.

.