Em nota OAB de Conquista diz que “não há informações técnicas totalmente seguras que apontem para a flexibilização das medidas já adotadas”; Leia


A OAB Subseção de Vitória da Conquista divulgou uma nota na noite deste sábado se posicionando a favor do isolamento social e ressaltando que “não há informações técnicas totalmente seguras que apontem para a flexibilização das medidas já adotadas”. Também expôs “preocupação com o crescimento do número de infectados pela COVID-19, sobretudo no nosso Estado e na nossa cidade”.

A nota foi encaminhada à imprensa às 23h27 do sábado, depois que da reunião em que a Prefeitura decidiu abrir o comércio. Não está claro se o comunicado da OAB foi em função da decisão da prefeitura.

LEIA A NOTA NA ÍNTEGRA

A OAB Subseção de Vitória da Conquista vem expor a sua preocupação com o crescimento do número de infectados pela COVID-19, sobretudo no nosso Estado e na nossa cidade, ao passo que vem mantendo diálogo com várias instituições no sentido de colaborar com os debates em torno das medidas de combate à esta terrível Pandemia. Nesse contexto, tem ampliado a interlocução com os mais diversos segmentos da sociedade civil.

Mas, entendendo que não há, no momento, informações técnicas totalmente seguras que apontem para a flexibilização das medidas já adotadas, e considerando que o Conselho Federal da OAB já se posicionou publicamente a favor do isolamento social, medida que vem sendo aplicada em vários países e tida, ao menos até agora, como a mais recomendada para conter a progressão exponencial dos casos.

A OAB Conquista espera que toda essa fase passe logo, recomendando a todos cuidados redobrados e a execução fiel de todas as orientações de profilaxia emitidas pelos poderes públicos, mormente pela OMS – Organização Mundial de Saúde – tendo a certeza que o povo brasileiro vencerá mais essa batalha em breve.

Vitória da Conquista, 23 de maio de 2020.

A Diretoria

[Covid-19]: Prefeitura admite possibilidade de ‘subnotificação’ de casos; ‘Governo do Estado não envia kits necessários às demandas de Conquista’, acusa


Uma briga entre a Prefeitura de Conquista e o Governo do Estado sobre a quantidade insuficiente de testes para identificar o Coronavírus e a possibilidade de subnotificação de casos revela que a situação de Vitória da Conquista pode ser muito mais grave do que mostram os módicos dados que estão sendo divulgados. 

No domingo (22), a Prefeitura denunciou que a Secretaria de Saúde do Estado da Bahia não estava disponibilizado para o município a quantidade suficiente de testes para identificar o Coronavírus, causando ‘subnotificação (número de casos menor) sobre o real número de infectados’ na cidade. O texto, de forma subjacente, relacionou o pedido aos conquistenses para ficarem em casa ao fato de não se saber ainda quantos podem estar infectados.

“É importante reforçar que a população de Vitória da Conquista deve realizar o isolamento social como medida de prevenção, uma vez que não está sendo disponibilizado para o município quantidade suficiente de testes pela Secretaria de Saúde do Estado da Bahia, o que pode gerar subnotificação sobre o real número de infectados em nosso Município. Por isso, todas as medidas de prevenção precisam ser cumpridas com rigor”, disse nota da Prefeitura no domingo

GOVERNO REBATE À PREFEITURA  (mais…)

Letargia do governo Hérzem fará com que CDL ‘decrete’ o fechamento do comércio


 

A indecisão do prefeito Herzem Gusmão e o amadorismo de sua equipe, que deixou vazar na manhã de sábado um PDF com o Decreto que fecha o comércio, traz incertezas e apreensão à população de Vitória da Conquista.

Após o Blog do Caique Santos publicar o artigo opinativo ‘Coronavírus x Prefeitura de Vitória da Conquista’, de autoria do Dr. Léo Mascarenhas, a presidente da CDL, Sheila Lemos, entrou em contato conosco para esclarecer que não existe pressão da entidade contra o fechamento, ao contrário, os comerciantes estão são a favor. 

Segundo Sheila, logo mais será emitida uma nota da entidade se posicionando oficialmente sobre o assunto.

Assim que a nota da CDL a favor do fechamento do comércio for divulgada, a publicação do Decreto, se ocorrer, só evidenciará que o governo municipal e letárgico em temas que requerem ações eficientes e urgentes e está confuso diante da crise do Covid-19.

 


[OPINIÃO]: Coronavírus x Prefeitura de Vitória da Conquista


Por Dr. Léo Mascarenhas, advogado*

Costumo comentar sobre violência e outros temas, porém, nesse momento, pode parecer oportunismo político, por esse motivo resguardei-me até agora, mas independente de qualquer pretensão política, é válido observar que sou esposo, pai, filho e sou amigo, logo tenho obrigação de lutar e não posso ter receio de dar ideias e cobrar ações.

Superado o receio, vamos às questões:

Pode até ser que o prefeito Herzem Gusmão e sua equipe estejam dando providências à implantação de novos leitos de UTI e aquisição de respiradores hospitalares para os hospitais de Vitória da Conquista, mas não vi divulgações e/ou esclarecimentos sobre esses dois pontos e isso deixa uma insegurança enorme na população. Cabe ao gestor público dar providências em um momento de crise, aliás, ir além disso, cabe a ele deixar a população tranquila e como não temos notícias, só posso presumir que nada está sendo feito.

Ainda nesse contexto de preparação prévia para uma possível onda de contágio na cidade, não vi o gestor público providenciar e preparar lugares alternativos para a implantação de hospitais temporários, tal iniciativa poderia contar com a sociedade civil organizada, basta que o gestor público busque, organize e coordene tal ação, sabemos que não é simples, mas a inércia pode custar vidas.

 

“Não vi o gestor público providenciar e preparar lugares alternativos para a implantação de hospitais temporários, tal iniciativa poderia contar com a sociedade civil organizada, basta que o gestor público busque, organize e coordene tal ação, sabemos que não é simples, mas a inércia pode custar vidas”

É sabido por todos que os Kits de testes para confirmação do COVID-19 não estão sendo suficientes em todo país, e , eventualmente, muitos casos que são suspeitos em nossa cidade, são de fato um contágio positivo para o vírus e obviamente tal situação nos coloca em risco, logo o poder público tem que ser mais enérgico. (mais…)


[VÍDEO E FOTOS]: Conquistenses entram em longas filas para estocarem alimentos


Foto: Caique Santos

 

Na tarde deste sábado (21) uma enorme fila de carros e pessoas se formou no entorno do supermercado Assaí em Vitória da Conquista. Após o vazamento nas redes sociais do texto do Decreto da Prefeitura determinando o fechamento do Comércio, uma quantidade grande de pessoas correu ao supermercado para garantir seus estoques durante o isolamento social.

O Blog do Caique Santos foi lá conferir a situação. Veja o vídeo abaixo:

No início da semana, o Blog do Caique Santos registrou cenas semelhantes, mas com menos pessoas. O estudante de  Direito, Paulo Mafra,  entrevistado por nossa reportagem, afirmou que estava lá no intuito de estocar alimentos. “O motivo do estoque, pelo menos para mim e minha família, é porque achamos que o cenário aqui no Brasil vai ficar pior do que na Itália, visto que lá tem uma medicina de ponta e o Brasil ainda está caminhando, com vários problemas que a gente sabe, a gente acredita que vai ocorrer realmente um problema muito maior”, disse.

Foto: Caique Santos

 

Para  Carlos Bastos, empresário, a atitude de estocar é preventiva. “Eu prefiro prevenir e ir estocando minha alimentação. Os caminhoneiros também são seres humanos, estão sujeitos a contraírem a doença, tanto eles quanto os funcionários de mercado, Eu não acredito muito nas informações que o governo vem prestando devido a várias desinformações e contradições que o governo tem mostrado”;

A vendedora Karine da Silva, juntamente com colegas de trabalho, estavam de máscaras e também de carrinho cheio. “Estamos comprando para estocar, com certeza, ainda mais que nós trabalhamos com vendas e temos contato com muitas pessoas de fora, de toda a Bahia, então nosso medo é maior. Todo mundo está fazendo seus estoques em casa e daqui a pouco não vai ter recursos pra buscar de lugar nenhum”, diz

Foto: Caique Santos

 

Supermercados de São Paulo enfrentam desabastecimento

Fábio Queiróz disse que é preciso fazer diferença entre desabastecimento e não reposição. A falta de produtos em prateleiras conforme ocorreu nos dois últimos dias, segundo ele, ocorreu porque não deu tempo de repor os produtos diante da velocidade em que os consumidores pegavam para levar para a casa. “Algumas imagens de gôndolas vazias significam que a gente não tinha condição, de naquele momento, de tirar o produto do depósito ou da central de distribuição para a gôndola. As vezes a gente coloca o produto na gôndola e o consumidor pega como formigas no doce. Claro que vai acabar e vai ficar sem reposição. Não dá tempo”, disse.

O presidente da Asserj disse que a decisão de fazer estoque de alguns consumidores é nocivo, especialmente para a população de renda mais baixa, que fica com menos opção de compra e terá que enfrentar a falta de produtos. “O estoque tem que ser distribuído de forma equânime a toda a população. Se quem tem mais poder aquisitivo comprar muita coisa e porventura tiver um rompimento na cadeia de abastecimento, as pessoas de renda mais baixas podem ficar vulneráveis e desabastecidas”, disse.

 

Semob diz que vai “intensificar” transporte público e CDL pede que lojistas escalonem horários dos funcionários


A Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Vitória da Conquista emitiu uma nota no início da noite desta quinta-feira (19) informando que após solicitação da entidade a Prefeitura, por intermédio da Secretaria de Mobilidade Urbana (SEMOB) se comprometeu a “intensificar” o transporte público para que diminuir a aglomeração de pessoas nos pontos de ônibus, tendo em vista que os mesmos só estão autorizados a transportar passageiros sentados.

A Prefeitura não esclareceu ainda de que maneira vai “intensificar” o transporte público.

A CDL também solicitou que os donos de lojas escalonem os horários dos colaboradores.

 


[COVID-19]: Número de suspeitos em Vitória da Conquista sobe para 25


Até às 22h dessa quarta-feira (18), foram notificados 35 casos com suspeita clínica e epidemiológica de infecção pelo Novo Coronavírus (COVID-19) em Vitória da Conquista, de acordo com boletim atualizado divulgado hoje (19) pela Vigilância em Saúde. Desse total, 10 foram descartados laboratorialmente e 25 aguardam análise das amostras coletadas.

A Diretoria de Vigilância esclarece que o aumento do número de casos foi motivado após a ampliação dos critérios de definição de casos suspeitos, que agora inclui viajantes que, nos últimos 14 dias, retornaram de áreas onde já acontece transmissão comunitária, como São Paulo e Rio de Janeiro. A adoção do novo critério foi orientado pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (CIEVS/BA), na noite da última terça-feira (17). (mais…)

[Covid-19]: Conquistenses lotam supermercados para estocar alimentos


Nesta terça-feira (17) conquistenses lotaram os supermercados para garantir o abastecimento em caso de uma futura escassez gerada pela pandemia do Covid-19. De acordo com uma funcionária do Assaí Atacadista, desde o início desta semana que a corrida às compras começou.

“Achamos que o cenário aqui no Brasil vai ficar pior do que na Itália”, Mafra, estudante de DireitoFoto: Caique Santos

 

O estudante de  Direito, Paulo Mafra, tem mantido contato com um amigo que mora na Itália e resolveu estocar alimentos após receber informações diretamente de pessoas que estão vivenciando o dia a dia da pandemia. “Ele me disse que a situação se encontra pior do que está passando nos jornais e que já está bem pesado lá pra todo mundo. O motivo do estoque, pelo menos para mim e minha família, é porque achamos que o cenário aqui no Brasil vai ficar pior do que na Itália, visto que lá tem uma medicina de ponta e o Brasil ainda está caminhando, com vários problemas que a gente sabe, a gente acredita que vai ocorrer realmente um problema muito maior”, acredita Mafra.

O estudante também teme que os caminhoneiros restrinjam suas atividades, afetando o abastecimento. “Acho que os caminhoneiros vão rodar apenas para situações emergenciais, como os demandas hospitalares e de primeiras necessidades. Acredito que haverá paralisação em algum momento, já está sendo discutido inclusive o controle de algumas BR´s e vias no estado da Bahia e outros lugares”, afirmou Paulo.

“Eu não acredito muito nas informações do governo”. Carlos Bastos, empresário. (Foto: Caique Santos)

 

Para  Carlos Bastos, empresário, a atitude de estocar é preventiva. “Eu prefiro prevenir e ir estocando minha alimentação. Os caminhoneiros também são seres humanos, estão sujeitos a contraírem a doença, tanto eles quanto os funcionários de mercado, Eu não acredito muito nas informações que o governo vem prestando devido a várias desinformações e contradições que o governo tem mostrado”;

“Daqui a pouco não vai ter recursos pra buscar de lugar nenhum”, Karine Silva, vendedora (Foto: Caique Santos)

A vendedora Karine da Silva, juntamente com colegas de trabalho, estavam de máscaras e também de carrinho cheio. “Estamos comprando para estocar, com certeza, ainda mais que nós trabalhamos com vendas e temos contato com muitas pessoas de fora, de toda a Bahia, então nosso medo é maior. Todo mundo está fazendo seus estoques em casa e daqui a pouco não vai ter recursos pra buscar de lugar nenhum”, diz

Filas imensas no Assaí nesta terça-feira (17)

 

Setor diz que não há necessidade de estocar

No começo da semana, o presidente da Associação de Supermercados do Estado do Rio de Janeiro (Asserj), Fábio Queiróz, alertou a população que não há necessidade de uma corrida aos supermercados. “Não precisa haver correria aos supermercados”, afirmou.

“Estamos massificando a informação e reforçando o apelo de que o consumidor não faça uma corrida desenfreada para as lojas. Não há necessidade disso. A gente gosta de vender, mas esse não é o momento. Agora é hora de evitar aglomerações para que a gente não chegue ao isolamento social, que é o caos e a falência do sistema de saúde”, disse em entrevista à Agência Brasil.

Supermercados de São Paulo enfrentam desabastecimento

Fábio Queiróz disse que é preciso fazer diferença entre desabastecimento e não reposição. A falta de produtos em prateleiras conforme ocorreu nos dois últimos dias, segundo ele, ocorreu porque não deu tempo de repor os produtos diante da velocidade em que os consumidores pegavam para levar para a casa. “Algumas imagens de gôndolas vazias significam que a gente não tinha condição, de naquele momento, de tirar o produto do depósito ou da central de distribuição para a gôndola. As vezes a gente coloca o produto na gôndola e o consumidor pega como formigas no doce. Claro que vai acabar e vai ficar sem reposição. Não dá tempo”, disse.

O presidente da Asserj disse que a decisão de fazer estoque de alguns consumidores é nocivo, especialmente para a população de renda mais baixa, que fica com menos opção de compra e terá que enfrentar a falta de produtos. “O estoque tem que ser distribuído de forma equânime a toda a população. Se quem tem mais poder aquisitivo comprar muita coisa e porventura tiver um rompimento na cadeia de abastecimento, as pessoas de renda mais baixas podem ficar vulneráveis e desabastecidas”, disse.

 

 


[COVID-19]: Prefeitura de Conquista suspende aulas por 15 dias e toma outras medidas


Vitória da Conquista não possui nenhum caso confirmado de Coronavírus. Mas o prefeito Herzem Gusmão, com vistas a ampliar a prevenção da população do município, definiu pela publicação de Decreto que suspende algumas atividades na cidade e na zona rural. A Covid-19 atinge mais de 100 países de cinco continentes, já infectou acima de 150 mil pessoas e o número de mortes ultrapassa os cinco mil mortes em todo planeta. Na semana passada, a doença foi declarada como pandemia pela Organização Mundial de Saúde. (mais…)

#Covid19: Show dos Titãs em Conquista é adiado


O Coletivo Suíça Bahiana, seguindo recomendações do Ministério da Saúde referentes à pandemia do novo coronavirus (covid-19), informa o adiamento do show Titãs Trio Acústico que ocorreria neste domingo, 15. O evento seria realizado no Centro de Convenções Divaldo Franco, em Vitória da Conquista.

O adiamento é uma medida de precaução, acordada entre a Banda e a produção do evento, conforme a orientação dos órgãos de vigilância epidemiológica. (mais…)