[VÍDEO]:Fabrício explica voto a favor da PEC, “fomos obrigados a isso”; Assista


Em um vídeo gravado neste sábado (01), o Deputado Estadual Fabrício Falcão deu sua versão sobre os fatos ocorridos na sexta-feira (31), dentro da Assembléia Legislativa da Bahia (ALBA). Na ocasião, o parlamentar chegou a trocar agressões físicas com policiais civis e penais, que ocuparam a ALBA para protestar e tentar impedir a votação da PEC da Reforma da Previdência da Bahia, que segundo os servidores, retira direitos trabalhistas conquistados e é injusta.

“Fomos obrigados a isso, não foi vontade do Governador Rui Costa e nem dos Deputados”, diz Fabrício Falcão ao justificar seu voto favorável à PEC. De acordo com o Deputado, o governo Bolsonaro determinou através de lei federal que todos os Estados tem a obrigação de votar sua PEC até o dia 31 de junho deste ano, sob pena de perder certidão do governo federal e não poder tomar empréstimo e nem fazer convênios para ações estruturantes na saúde, educação, segurança pública e abastecimento de água. “Comparar o governador Rui Costa a Bolsonaro é um crime”, afirmou.

Em sua fala, o Deputado compara a invasão dos professores ao Plenário ocorrida em 2018 com a da sexta-feira (31) por parte dos policiais civis e penais. “Quando foi se discutir a necessidade de se colocar a PM, eu fui contra, pois não é possível colocar a polícia contra trabalhadores”, disse. Para o deputado, o que ocorreu na noite da sexta-feira foi diferente. “Sou um defensor da Policia Civil, do seu trabalho, da Polícia Técnica e Científica, mas alguns policiais civis, mais de uma centena, invadiram o Plenário portando armas, agrediram os seguranças, policiais militares, deram chute no Deputado Paulo Câmara, um policial (…) puxou uma arma para o deputado Alan Sanches, policiais nos corredores disseram, ‘vamos matar o deputado Jean Fabrício para servir de exemplo à Bahia, vamos botar ele como símbolo nosso, tem gente que viu e vai testemunhar contra esses bandidos travestidos de policiais, porque a polícia civil é de pessoas do bem”, disse.

Fabrício Falcão ainda salientou um projeto seu que pretende autorizar os policiais civis acumularem outras funções públicas como professores e nas áreas da saúde e educação.

CONFIRA A ÍNTEGRA DO VÍDEO

[VÍDEO]: Deputado Fabrício Falcão (PCdoB) agride policial civil na ALBA e diz ter sofrido ameaça de morte


Um vídeo gravado dentro da  Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA) na noite desta sexta-feira (31) mostra o Deputado Estadual Fabrício Falcão (PCdoB) sendo contido por colegas após agredir no rosto um policial civil que estava na tumultuada manifestação contra a a PEC da Previdência. Os manifestantes invadiram o Plenário e foi preciso chamar a Tropa de Choque da PM.

Nas imagens é possível ver, a partir do lado esquerdo do vídeo, o deputado correndo em direção ao policial chamado Denilson e dando um soco no rosto, sendo em seguida puxado por outros parlamentares.

VEJA O VÍDEO:

O deputado estadual Fabrício Falcão afirmou posteriormente ter sido alvo de ameaças de morte durante a sessão de votação. Ao site Bahia Notícias, o parlamentar relatou temer pela própria vida depois de escutar de alguns manifestantes que ele seria feito de exemplo.

O Blog do Caique Santos está tentando o contato com o Deputado para maiores esclarecimentos.

A categoria é contra PEC e pede ainda que seja garantido 100% da pensão por morte. De acordo com o Sinspeb, o policial civil e o penal que estão no fim da carreira recebem um salário em torno de R$ 6 mil a R$ 7 mil. Se for aplicada a média que contém na PEC, o salário será reduzido para cerca de R$ 4,5 mil do servidor que está no fim da carreira. Apesar de toda a confusão, a PEC foi aprovada.

 

 

[VÍDEO]: Policiais Civis, Deputados e Tropa de Choque da PM entram em confronto durante votação da PEC da Previdência de Rui Costa na Bahia


O ‘pau quebrou’ na noite desta sexta-feira, 31, dentro da Assembleia Legislativa da Bahia em Salvador (BA). Após a fala do deputado Hilton Coelho (Psol), o clima ficou tenso durante a Sessão Extraordinária para a votação da PEC 159/2020, que propõe a reforma da Previdência dos servidores públicos estaduais.

Manifestantes membros da Polícia Civil invadiram o plenário e entraram em embate com a Polícia Militar legislativa. Antes, ainda durante a fala de Hilton, os manifestantes presentes na galeria jogaram ovos em direção aos parlamentares. O presidente da casa, Nelson Leal, foi atingido.

Por conta da confusão, a sessão está suspensa desde as 20h30. Por volta das 21h, o Batalhão de Polícia de Choque chegou ao local. Durante o confronto, a tribuna de imprensa também foi invadida pelos servidores que estão protestando. A categoria é contra PEC e pede ainda que seja garantido 100% da pensão por morte. De acordo com o Sinspeb, o policial civil e o penal que estão no fim da carreira recebem um salário em torno de R$ 6 mil a R$ 7 mil. Se for aplicada a média que contém na PEC, o salário será reduzido para cerca de R$ 4,5 mil do servidor que está no fim da carreira.


Na Alba, os servidores gritam para os deputados: “Vendidos! R$ 50 mil reais, R$ 50 mil reais”. O governador Rui Costa repassou essa quantia em emenda parlamentar para que os deputados comparecessem à Alba a fim de votar a proposta. Dos 63 parlamentares baianos, 55 registraram presença para discutir a pauta.

pós a chegada do Choque, a maior parte dos deputados saíram do plenário. Só permaneceram no local os servidores em protesto, que ocuparam os assentos dos deputados, e os deputados Hilton, Capitao Alden (PSL) e Prisco (PSC).

Servidores tentam impedir votação
Concentradas em frente à Assembleia Legislativa da Bahia (Alba), diversas categorias de servidores públicos protestaram contra a PEC 159/2020, nesta sexta-feira (31).

Ao CORREIO, o presidente da APLB Sindicato, Rui Oliveira, informou que os trabalhadores foram surpreendidos com a queda da liminar do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), que havia suspendido a tramitação da PEC.

“O governador foi pessoalmente ao TJ e derrubou a liminar. E de forma inédita, porque nunca na história da Assembleia houve votação em dia de sexta. Os deputados se submeteram a isso”, disse.

O governo tem até a meia-noite desta sexta para votar, em dois turnos, a aprovação ou rejeição da PEC. Esse é o prazo que justifica a Convocação Extraordinária feita por Rui, que antecipou a volta ao trabalho dos parlamentares.

“A nossa expectativa é de que não seja aprovada hoje, porque entendemos que o projeto tem condições de ser melhorado. Isso não precisa ser aprovado agora porque o governo tem até junho/julho para enviar a proposta para o governo federal”, afirmou Ivanilda Brito, presidente do Sindsaúde.

Entre os grupos contrários à proposta da forma que foi discutida, e que estão presentes no local, constam representantes do Sindpoc (policiais civis), Sindmed (médicos), Sintaj (judiciário), Andes (docentes), Fenaspen (servidores penitenciários), SindSefaz (fazendários), SindSaúde, Aduneb, Sintest, entre outros.

De acordo com o representante do Sindicato dos Policiais Civis da Bahia (Sindpoc), Eustácio Lopes, com a reforma, a categoria deve perder os direitos à integralidade e paridade, que é a aposentadoria com o último salário e a validade dos ajustes salariais tanto para ativos quantos inativos, respectivamente.

“Esses foram pontos garantidos à Polícia Militar. A gente quer para a polícia civil as mesmas garantias que foram dadas à PM. Não tem justificativa isso em cima da gente. O governo ficou com medo de uma nova greve da PM e fez uma escolha política de salvar a PM”, disse Lopes.

Para Ivanilda Brito, do SindSaúde, as mudanças no Abono de Permanência são uma ‘economia de palito’. O abono é dado ao servidor que permanece trabalhando mesmo já tendo os requisitos para a aposentadoria.

A sindicalista diz que muitos servidores continuam trabalhando por causa desse incentivo, que atualmente é de 100%. Na nova proposta, o abono cai para 70%. “Quem é que vai querer ficar com esse incentivo baixo? Todo mundo vai querer se aposentar. Isso era o incentivo e, se acabar, não faz sentido continuar”, aponta ela.

Cerca de 300 manifestantes estão em frente à Alba com carro de som e bandeiras dos respectivos sindicatos.

Independentemente do resultado, os sindicatos trabalhistas prometem protestar na Festa de Yemanjá, no Rio Vermelho, onde o governador Rui Costa deve apresentar a Major Denice Santiago, que comanda a Ronda Maria da Penha, como pré-candidata à prefeitura de Salvador pelo PT.

Fonte: Correio*

[VÍDEO]: Polícias Civil e Penal de V. Conquista lutam contra PEC injusta do Governo da Bahia


Confira a íntegra da entrevista exclusiva de Alberto Fábio, investigador da Polícia Civil de Conquista e Lucas Santos, policial penal, cedida por ao radialista e jornalista Caíque Santos na Rádio Melodia FM (87.9), explicando com detalhes todas as injustiças da reforma da previdência na Bahia em relação aos policiais civis.

ASSISTA O VÍDEO NA ÍNTEGRA :

Polícia Militar captura suspeito de ter assassinado Rogério


Rogério foi encontrado morto dentro de casa.

 

Na manhã desta terça-feira (28) policiais da 77 prenderam um indivíduo suspeito de ter matado a facadas, dentro de casa na Patagônia, Rogério Pereira Rocha, 44. O crime ocorreu na tarde de sábado, em Vitória da Conquista (BA).

O corpo foi encontrado por conhecidos, após ele não comparecer ao trabalho. Segundo testemunhas, dentro da casa havia sinais de uma provável luta corporal.

A primeira hipótese é que se trate de latrocínio – roubo seguido de morte – pois utensílios da casa foram subtraídos.

Fonte: Blog do Léo Santos

 

[VÍDEO]: Policiais civis e penitenciários ocupam a Praça Barão do Rio Branco e rezam o ‘Pai Nosso’


Policiais civis e penitenciários ocuparam a Praça Barão do Rio Branco nesta segunda-feira (27) em mobilização contra a PEC 159. Os manifestantes saíram pelas ruas com faixas e cartazes.

A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 159 prevê a reforma da Previdência do Estado. Encaminhada pelo governador Rui Costa, a PEC deve ser votada nesta terça-feira (28), em regime de prioridade, na Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA). Até lá, as entidades classistas dos Servidores Públicos estarão mobilizadas para tentar barrar a votação e abrir um canal de diálogo com o Governo. (mais…)

Conquistenses fazem duras críticas aos Agentes do Simtrans nas redes sociais


O vídeo que mostra 03 agentes do Simtrans sendo agredidos fisicamente por cidadãos não gerou muita comoção nas redes sociais. Pelo menos isso é o que reflete a grande maioria dos comentários, alguns até mesmo apoiando o ato de violência. (Veja os ‘prints’ no final da matéria). Entre as críticas ao trabalho dos agentes de trânsito, os internautas queixam-se de arrogância, falta de cortesia, intolerância e abuso de poder.

Para o professor universitário Dirlêi Bonfim, nada justifica atos de violência, mas falta à maioria dos Agentes a qualificação necessária para lidar com os cidadãos. “Acredito que se ter a guarda de trânsito seja necessário e útil, desde que os Agentes sejam pessoas, primeiro qualificadas, educadas, sensatas e tenha bom senso. Infelizmente não é o que acontece em Conquista. Nossos Agentes públicos de trânsito, primeiro precisam ter a consciência de que são Servidores Públicos e, portanto, quem paga os seus salários somos nós, a sociedade”, ponderou o professor. (mais…)

Prefeitura divulga nota repudiando agressão aos agentes do SIMTRANS


LEIA A NOTA: A Prefeitura de Vitória da Conquista vem a público apoiar integralmente os três agentes do Simtrans violentamente agredidos na tarde de ontem durante o exercício legal de suas funções, e ao apoiar os envolvidos neste caso específico, apoia, também, toda a categoria de agentes de trânsito de nossa cidade.

É inadmissível que em pleno Século XXI a barbárie, a violência pura e simples e o desrespeito à autoridade ainda sejam utilizados como conduta por cidadãos que se acreditam acima de qualquer poder constituído.

Conquista possui leis e elas serão regiamente cumpridas! Não admitiremos que a força dos punhos de quem não cumpre com seus deveres seja maior do que Justiça! (mais…)

Policiais Civis e Penais decidem paralisar atividades por 48h a partir de segunda-feira (27)


A Assembleia Unificada dos Policiais Civis e Policiais Penais baianos, realizada na manhã desta terça-feira(21),no auditório do Sinpojud, aprovou “estado de greve” das duas categorias, paralisação das atividades por 48 horas a partir da próxima segunda-feira(27) em protesto à PEC 159/2020; encaminhar ofício para o Governo exigindo que na PEC 159/20 seja garantido aos Policiais Penais e Civis Pensão Integral, Paridade e Integralidade; promoção imediata; Mobilização na segunda e terça (27 e 28/01) para ocupar a ALBA, inclusive, com viaturas; estabelecer diálogo com deputados em busca de assinaturas para emendas; informativo à população para demonstrar os males da PEC aos serviores e à sociedade, além de informar as prerrogativas das Policiais Civil, Penal e Militar. (mais…)