[OPINIÃO]: Uma medida de vários pesos


Por Afranio Garcez*

Infelizmente estamos vivendo numa república onde nem todos possuem ou são detentores dos mesmos direitos. Foi com grande surpresa que os brasileiros tomaram conhecimento do reajuste aprovado pelos ministros do STF em causa própria, e com valores bem acima dos índices da inflação. Enquanto isso não se vê nenhuma ação mais contundente do mesmo superior tribunal no sentido de se fazer respeitar o que a constituição garante aos brasileiros, como por exemplo, direito à saúde, educação, segurança lazer etc.

Eu não conheço nenhuma decisão judicial que tenha obrigado os empregadores a fazer as reposições salariais com índices ao menos superiores ou iguais ao da inflação “oficial”, e nem mesmo com os índices que foram usados para que o já comentadíssimo e mais ainda criticadíssimo aumento que irá gerar um efeito cascata surpreendente no 3 poderes além de parte do funcionalismo público federal.

Enquanto isso, aqui em nossa cidade o impasse continua, existe os trabalhadores da empresa Vitória na “rua da amargura” com salários e outras parcelas trabalhistas sem ser pagas há meses, e os professores municipais esmolando um relés aumento que não lhe é concedido. Com relação a já mencionada empresa de transporte urbano e sua relação com a comunidade e principalmente com seus empregados as conseqüências são danosas para toda a sociedade. Os trabalhadores da mesma tomando dinheiro emprestado a agiotas e bancos (ambos são iguais) com juros altos, e agora que já não podem mais fazê-lo passando toda a sorte de privações, inclusive com a fome e outras necessidades básicas batendo na porta da família de cada um deles e parece que a justiça não se importa com esta situação.

“Estamos assistindo é interferências estranhas e nunca dantes vistas, quando lhes é imposta multas administrativa caso façam protesto ou na porta ou dentro da prefeitura, algo que acontecia freqüentemente num passado não muito remoto e nada lhes acontecia, ressalvando que esta multa é absolutamente ilegal, pois não foi uma decisão judicial e sim administrativa”.

 

A única atitude que vejo sendo tomada em favor dos mesmos, é a do locutor de rádio Edson Araújo – do Programa Segura Peão, e a de populares que estão doando alimentos no terminal urbano da Lauro de Freitas. Já os professores que deveriam ser tratados com toda deferência e respeito que lhes é natural não se vê ninguém, absolutamente ninguém interferindo em favor de uma solução em favor desta classe. Estamos assistindo é interferências estranhas e nunca dantes vistas, quando lhes é imposta multas administrativa caso façam protesto ou na porta ou dentro da prefeitura, algo que acontecia freqüentemente num passado não muito remoto e nada lhes acontecia, ressalvando que esta multa é absolutamente ilegal, pois não foi uma decisão judicial e sim administrativa.

O impasse continua, e a população está sofrendo com os empregados citados os efeitos do retardamento de uma solução para os casos citados, mas eu faço uma ponderação para ambos casos: Será que quando a Viação Vitória resolver pagar os seus funcionários o fará com o acréscimo de juros cobrados pelos bancos? E a PMVC quanto resolver atender as reivindicações dos professores municipais o fará concedendo-lhe não o que ora é pleiteado por eles docentes, mas sim usando os índices que foram usados para o aumento dos eminentes ministro da alta corte?

Claro que não, afinal de contas voltamos no tempo vertiginosamente quando se verificava a famosa questão do “Dois Brasis” o do sul maravilhoso, e a do nordeste pobre e miserável. Em todos estes casos estamos verificando uma única medida que o aumento salarial a que todos fazem jus, mas com pesos e medidas diferentes. Fica muito fácil se fazer caridade com o dinheiro do povo, enquanto pessoas morrem de fome, o fenômeno da desnutrição aumenta as filas para se conseguir um atendimento no SUS de igual forma, tudo por conta dos desmandos e desentendimentos que estão ocorrendo no Brasil.

Àqueles que se socorrem da justiça para ter um atendimento médico especializado, a obtenção de um medicamento de alto custo ou mesmo a internação em um estabelecimento hospitalar adequado, e cujas liminares são concedidas, mas raramente cumpridas, nada lhes acontecem caso não seja cumpram os mandados judiciais. Aumentos sem precedentes na história recente brasileira nós é imposta como água, energia elétrica, gasolina, medicamentos, planos de saúde, juros abusivos etc, e todas estas decisões foram tomadas na calada da noite, enquanto o povo se entusiasmava com os jogos da seleção brasileira na copa deste ano, que aqui no Brasil mais uma vez funcionou como um anestésico para deixar a nação em estado de letargia, e os parlamentares fazendo o que bem queriam e lhes convém, nunca o que é conveniente ao povo. Nunca se viu tanta injustiça cometida contra um povo que trabalha e duro, e que agora está definitivamente submetido a política de uma medida e vários pesos. Será que existe alguma salvação?? Acredito que não.

*Dr. Afranio Garcez, é advogado pó-graduado em direito e com diversas especializações, escritor, cronistas, membro da Academia Conquistense de Letras.

O texto acima foi enviado por um colaborador. Os textos de colaboradores não representa necessariamente a opinião editorial do Blog do Caique Santos.