Terceirizados paralisaram as atividades no Hospital Geral de Vitória da Conquista (HGVC)


Na manhã desta terça-feira, 22, trabalhadores terceirizados da empresa ‘Global Live’ paralisaram as atividades no Hospital Geral de Vitória da Conquista (HGVC), no sudoeste da Bahia. De acordo com informações da assessoria de imprensa da CUT (BA), a greve foi motivada por atrasos constantes de salários dos trabalhadores (as) desde que a empresa assumiu o contrato de prestação de serviços a Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (SESAB) há seis meses.

A empresa é denunciada também pelo não pagamento do décimo; nem do salário de dezembro e ainda o não pagamento do vale transporte desde outubro. De acordo com Ana Rabelo, coordenadora do Sindilimp Bahia, o sindicato atua junto aos trabalhadores e já está cobrando os compromissos da empresa garantidos por lei. “Trabalhamos duros para fazer valer a lei anti calote, que dá a garantia de que assim que a empresa devedora começasse a receber os valores da contratante que fosse repassado direto aos trabalhadores que estavam sem receber seus benefícios. Ontem aconteceu uma reunião na secretaria de saúde para que essa lei fosse cumprida. Só que tem uma coisa caso não tenha o pagamento do que deve aos trabalhadores , hoje foi em hospitais gerais de Vitória da conquista amanhã as paralisações também serão em Salvador, da empresa Súria, pois também temos trabalhadores nessa mesma situação”.

O presidente da CUT Bahia Cedro Silva apoia a manifestação justa para garantia de direitos dos trabalhadores “O Sindilimp tem total apoio da CUT Bahia para fazer a lei e garantir que 400 pais e mães de família levem seu sustento para casa. Esse é o papel do sindicato dar a voz a luta da classe trabalhadora para que não se tenha desrespeito a um ou centenas ou milhares de trabalhadores, estamos junto na luta” destaca Cedro.

Por meio de nota a Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) informou que a empresa Global Live está com certidões do INSS vencida, o que a impossibilita de receber pagamentos de órgãos públicos e que ainda assim a Sesab já está em tratativas com a empresa para regularizar a situação. A Secretaria da Saúde da Bahia ressaltou também que pagamentos de salários e demais encargos trabalhistas são de inteira responsabilidade da empresa.