Uber cria taxa em Londres para ajudar motoristas a comprarem carros elétricos


Os moradores de Londres que usam o Uber terão que pagar 15 pences a mais (cerca de R$0,70) por milha (1,6 km) rodada.

Este é o novo plano, chamado de “Clean Air”, anunciado pela empresa multinacional no início desta semana.

A taxa, que entrou em vigor nesta quarta-feira, dia 16 de janeiro de 2019, faz parte do Plano de Ar Limpo (Clean Air) do Uber, e foi projetada para apoiar os projetos mais amplos do prefeito de Londres, Sadiq Khan, para melhorar a qualidade do ar na capital do Reino Unido.

A taxa, chamada de “clean air fee” (taxa de ar limpo), vai ajudar os motoristas do aplicativo a trocarem seus carros movidos a gasolina ou diesel por versões limpas, como carros elétricos a bateria.

Passageiros que usam o serviço compartilhado do Uber, o Uber POOL, dividirão a taxa entre os que compartilharem a corrida.

A empresa diz que, embora o plano só esteja sendo implementado em Londres atualmente, há o interesse de expandi-lo para outras cidades.

O objetivo do Uber é que todos os carros cadastrados no aplicativo na metrópole inglesa sejam totalmente elétricos até 2025.

O site inglês The Verge calcula que a média de viagem do Uber em Londres é de cerca de três milhas (4,8 km). Desta forma, os passageiros pagarão um extra de 45 pence (R$2,10) para cada viagem.

Todos os motoristas de Londres estão habilitados a receber pagamentos em dinheiro do Uber para ajudá-los a comprar um carro elétrico.

A Uber diz que a quantidade de dinheiro que os motoristas receberão em relação ao custo de um veículo elétrico será baseada no número de milhas que percorreram no aplicativo.

Por exemplo, um motorista que roda pelo aplicativo 40 horas por semana, em média, pode esperar receber cerca de £ 3.000 (R$ 14,4 mil) em dois anos e £ 4.500 (R$ 21,6 mil) em três anos.

Num comunicado divulgado no lançamento do projeto, Fred Jones, diretor do Uber em Londres afirmou que a empresa quer fazer parceria com as cidades onde atuam. “Estamos orgulhosos de desempenhar nosso papel no combate à poluição do ar de Londres“, disse o executivo.

Fred Jones completou adiantando os planos futuros da empresa: “Com o tempo, nosso objetivo é ajudar as pessoas a substituir seus carros por seus smartphones, oferecendo uma variedade de opções de mobilidade – sejam carros, bicicletas ou transporte público – tudo no aplicativo Uber.”

Uma vez que um motorista passe a rodar com um carro elétrico, a taxa de ar limpo (clean air fee) passará a subsidiar os custos do veículo.

A empresa diz que prevê arrecadar mais de 200 milhões de libras (R$ 963 milhões) para apoiar os motoristas na transição para veículos elétricos nos próximos anos.

Estima-se que 20.000 motoristas irão migrar dos veículos movidos a combustíveis fósseis para carros elétricos até o final de 2021.

CORTEJANDO LONDRES

Londres está preocupada em reduzir a poluição e o congestionamento.

No mês passado, a Transport for London, empresa que gerencia e organiza o transporte na capital do Reino Unido, determinou que veículos particulares de plataformas de transporte individual, o que incluiu o Uber, não ficariam mais isentos da taxa de congestionamento diária de £ 11,50 (cerca de R$ 55,00) que é cobrada por quem dirige no centro de Londres.

Somente veículos com zero emissão ainda ficarão isentos do pagamento da taxa – o que explica em parte a urgência da empresa Uber em conseguir que seus motoristas mudem seus carros a gasolina para veículos elétricos.

O Plano de Ar Limpo da multinacional parece fazer parte de um esforço para desenvolver e manter um relacionamento positivo com autoridades de Londres.

Isso porque a empresa tem esbarrado na legalidade do sistema jurídico britânico quanto à questão de vínculo trabalhista de seus motoristas e, por um breve período no ano passado, chegou a perder a licença para operar em Londres. Relembre:

Como a questão ambiental, principalmente a poluição do ar, é foco para os atuais políticos e legisladores de Londres, a promessa de garantir que todos os 45 mil motoristas do aplicativo passarão a operar na capital com veículos elétricos até 2025 é claramente uma maneira de atrair o prefeito Khan e seus aliados para apoiar a presença da empresa na cidade.

UBER JÁ LANÇOU PROGRAMA NOS EUA

No ano passado, a empresa anunciou um programa piloto de um ano para fornecer incentivos em dinheiro para alguns motoristas norte-americanos que usam carros elétricos, com a meta de alcançar pelo menos 5 milhões de viagens nos próximos 12 meses.

Esse programa piloto está sendo realizado em sete cidades: Austin, Los Angeles, Montreal, Sacramento, San Diego, São Francisco e Seattle.

DIÁRIO DO TRANSPORTE
Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Com informações de agências internacionais