Psicanálise: você sabe a diferença entre Freud e Jung?



Você sabe quais as principais diferenças entre Freud e Jung? Esses são dois dos maiores nomes das teorias psicanalíticas. Médicos de formação, ambos têm um papel decisivo para o estudo da mente humana.

Entre os psicanalistas, a admiração pelos dois mestres é dividida. Podemos dizer que, em parte, essa divisão se dá justamente pela história da relação desses dois estudiosos e, logicamente, por suas divergências no campo teórico.

Embora diferentes, ambos contribuíram de maneira significativa para o estudo do desenvolvimento humano, deixando reflexões e desdobramentos até os dias atuais.

Entenda um pouco mais sobre cada um e veja quais são as suas principais diferenças!

A teoria psicanalítica de Freud
Sigmund Freud é o grande criador da psicanálise, abordagem extremamente importante no campo da Psicologia.Iniciou os seus estudos por meio da técnica da hipnose, no tratamento de mulheres que apresentavam sintomas de histeria — termo psicanalítico para o aparecimento de sintomas físicos sem base orgânica. A hipnose era utilizada como via de acesso aos conteúdos mentais.

Freud conjecturou que a causa da histeria era de origem psicológica, e não orgânica, como estava sendo especulado na época.A partir daí, desenvolveu e aperfeiçoou cada vez mais suas teorias, substituindo mais tarde o método da hipnose pela associação de palavras (a fala) como elemento central da Psicanálise.

Carl Gustav Jung era contemporâneo de Freud, conhecendo e trabalhando, inclusive, com o pai da Psicanálise por um período.Acredita-se que o primeiro contato de Jung com as obras de Freud foi por meio da leitura de Interpretação dos Sonhos, de 1900. Nela, Freud teoriza sobre o mundo onírico e os elementos que constituem o sonho, propondo a interpretação desses conteúdos para acessar o inconsciente.

Após o rompimento dos dois teóricos (assunto sobre o qual falaremos no próximo tópico), Jung fundou a sua própria teoria, conhecida até hoje como Psicologia Analítica.

Os principais conceitos da Psicologia Analítica que são considerados até o dia de hoje, são:

inconsciente coletivo;
arquétipos;
individuação.
Suas diferenças com Freud se iniciaram em um ponto decisivo, que resultou em uma separação definitiva entre os dois teóricos. Entenda melhor a seguir!

Os desencontros e diferencas entre Freud e Jung
O primeiro encontro entre os dois durou cerca de 13 horas. Após trocarem inúmeras cartas, esse momento marcou a história da Psicanálise com o que parecia ser início de uma parceria duradoura. Mas não foi.

Divergências entre os dois começaram a surgir e se acentuar e em 1913. Depois, sem qualquer possibilidade de integrar suas ideias, aconteceu a separação. Teóricos da Psicanálise consideram esse momento como de extrema relevância para compreender como se deu a formação das duas teorias.

Embora os dois acreditassem na existência do Inconsciente, suas diferenças em relação à libido eram impossíveis de conciliar.

O que os separou de forma tão abrupta?
Enquanto Freud atribuía à sexualidade um papel central à psique, Jung buscava explicações que ultrapassavam esse aspecto, recorrendo a conceitos como o inconsciente coletivo.

A partir dessas diferenças entre Freud e Jung, surgiram essas duas teorias com grande papel para o entendimento humano. Ambas elevam a importância da análise de conteúdos inconscientes, mas dão explicações e conceitos diferentes para a psique humana.

Texto: SBPI – Escola de Psicanálise