Bolsonaro considera projetos da Ancine “absurdos” e cogita acabar com o órgão


De acordo com a colunista Mônica Bergamo, da Folha de São Paulo , o presidente Jair Bolsonaro deve fazer mudanças profundas na Ancine, a Agência Nacional do Cinema, inclusive podendo extinguir o órgão.

A Ancine, criada em 2001 durante o governo de Fernando Henrique Cardoso, funciona como órgão que regula, fomenta e fiscaliza a indústria cinematográfica e videofonográfica no Brasil, tendo autonomia financeira e administrativa, porém vinculada diretamente à Presidência da República.

As informações de Bergamo garantem que Bolsonaro teria considerado “absurdos” alguns dos projetos aprovados pela Ancine, entre eles o “Born to Fashion”, reality show nos moldes do “America’s Next Top Model” mas com o objetivo de revelar modelos transgêneros. O presidente também disse que filmes como ‘Bruna Surfistinha’ não podem ser financiados com dinheiro público em respeito à família brasileira. 

Além dos projetos, o presidente estaria preocupado com “a disputa por cargos dentro da área da cultura”.

Entre as considerações de Bolsonaro sobre o futuro da Ancine estão extinguir o órgão oficial ou transferi-lo para a Secretaria de Comunicação (Secom), dentro do Ministério da Cidadania. Vale lembrar que o Ministério da Cultura já foi extinto no início do atual governo.

A decisão sobre o que será da Ancine deve acontecer ainda nesta quinta-feira, 18/07, quando o presidente se encontrar com o ministro da Cidadania Osmar Terra.