Blog do Caique Santos

Secretários de Assistência Social apresentam o Pacto Social do Nordeste


Gestores da assistência social dos nove estados nordestinos se reuniram nesta segunda-feira (03), numa reunião virtual, para apresentar a proposta do Pacto Social do Nordeste, iniciativa do Consórcio Nordeste. O secretário de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social da Bahia (SJDHDS), Carlos Martins, representou a Bahia no encontro.

O documento foi exposto para a governadora do Rio Grande do Norte, Maria de Fátima Bezerra, coordenadora do tema no Consórcio Nordeste.

A proposta do Pacto Social é resultante de um longo processo de encontros e debates, que se iniciou no I Encontro de Gestores de Assistência Social do Nordeste, ocorrido em Recife no dia 10 de setembro de 2019, com o tema “Integração Regional, Inovação e Aprimoramento do SUAS”.

“O nosso objetivo é identificar potencialidades de expansão da proteção social prevista pelo Sistema Único de Assistência Social (SUAS), assegurar a proteção da população em situação de pobreza e extrema pobreza, além de reagir a qualquer retrocesso nas políticas sociais conquistadas nas últimas duas décadas”, pontuou o secretário Carlos Martins.

Dados do Consórcio Nordeste mostram que a região, que conta hoje com 57,3 milhões de habitantes, tem cerca de 55% da população inscrita no CadÚnico. O total de famílias em situação de extrema pobreza chega a 7,1 milhões, enquanto 7 milhões são beneficiárias do Bolsa Família.

Em março deste ano, o grupo criou a Câmara Temática da Assistência Social com objetivo de promover duas linhas, uma de intervenção imediata e emergencial, considerando os efeitos da pandemia do COVID-19, e outra de caráter continuado para contribuir com as políticas públicas e denunciar retrocessos nas políticas sociais, a exemplo de cortes no Bolsa Família, que prejudica o grupo.

Crédito das imagens: Sandro Menezes/ Governo RN

Alegando suspeita de Covid, Pazuello comunica que não vai depor em CPI


O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello: inquérito foi aberto em 25 de janeiro e tem 60 dias para ser concluído (Tânia Rêgo/Agência Brasil)

 

O ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello não vai comparecer à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19 nesta quarta-feira, 5, para quando estava marcado seu depoimento. Ele informou que teve contato com duas pessoas com suspeita de covid-19 nos últimos dias e, por isso, não poderá participar de forma presencial.

A comissão ainda não decidiu a nova data para o depoimento de Pazuello, mas a tendência é que não mantenha a oitiva de forma virtual. Muitos senadores acreditam que essa solução poderia prejudicar a qualidade o depoimento. Além disso, todos os outros ex-ministros e o atual, Marcelo Queiroga, serão ouvidos presencialmente.

Pazuello já foi diagnosticado com covid-19 em outubro de 2020, mas isso não elimina o risco de reinfecção. À época, ele chegou a ser internado no Hospital das Forças Armadas (HFA).

Os ex-ministros Luiz Henrique Mandetta e Nelson Teich prestam depoimentos nesta terça-feira, 4, à CPI. Estão previstas para quinta-feira, 7, as oitivas do atual ministro, Marcelo Queiroga, e do presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Antonio Barra Torres.

A CPI foi instalada em 27 de abril, após o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso determinar a abertura. Mandetta é o primeiro a ser ouvido pela comissão.

Fonte: EXAME

Morte de Presidente da Câmara de Vereadores de Itapetinga será investigada pela Polícia Civil


O vereador Léo Matos (PSD), presidente da Câmara Municipal de Itapetinga, no sudoeste da Bahia, que estava desparecido desde a sexta-feira (23), foi encontrado morto na manhã deste domingo (25). A informação foi confirmada pela prefeitura e pela Casa Legislativa da cidade.

Segundo informações da vereadora Emanuelle Brandão (MDB), o corpo foi encontrado boiando, por volta das 6h30, em um lago em uma fazenda de propriedade do próprio Léo, no povoado de Palmares.

Ele estava no primeiro mandato como vereador na cidade e havia completado 46 anos no dia 14 de abril.

A Câmara Municipal informou que estão sendo realizadas buscas na propriedade de Léo Matos, onde o carro dele teria sido localizado. Ainda não há informações da autoria ou o que pode ter motivado a morte do vereador.

De acordo com o funcionário da Câmara, Aete Matos, ele não sofria ameaças e não tinha inimigos declarados. O caso será investigado pela Polícia Civil.

“Ele foi encontrado por volta das 6h30 depois de estar desaparecido desde sexta-feira. A suspeita inicial é de afogamento. Mas a polícia não descarta outras possibilidades. Ele havia assumido o cargo no início do ano e nunca falou sobre ameaças ou algo do tipo”, disse Aete.

A prefeitura de Itapetinga emitiu uma nota lamentando a morte do vereador.

“Itapetinga amanheceu enlutada. Em meio a tempos já tão difíceis, a perda do vereador Leonardo Matos faz com que comecemos a semana ainda mais cheios de dor e tristeza. A morte levou Leo Matos para longe de nós de forma muito precoce. Infelizmente, pôs fim ao futuro promissor de um político, à vida de um pai, de um marido, de um filho que tinha muita história para escrever ainda. Interrompeu cedo seus sonhos e deixou, sem dúvidas, muitas saudades”, disse trecho da nota.

Itapetinga amanheceu enlutada. Em meio a tempos já tão difíceis, a perda do vereador Leonardo Matos faz com que…

Publicado por Prefeitura de Itapetinga em Domingo, 25 de abril de 2021

Câmara de Vereadores de Conquista lamenta morte de Leo Matos

A Câmara Municipal de Vitória da Conquista, por meio do presidente Luís Carlos Dudé, manifesta profundo pesar pela morte precoce do vereador Leonardo Rodrigues Matos, aos 46 anos, presidente da Câmara de Itapetinga.

O corpo de Leo Matos foi encontrado em um açude na própria fazenda dele, em Itapetinga, na manhã deste domingo (25). Ele estava desaparecido desde sábado quando saiu para fazer o pagamento dos funcionários da fazenda.

Leonardo era advogado e estava em seu primeiro mandato. Foi eleito pelo Partido Social Democrático (PSD). Era muito conhecido na cidade e região. Ele deixa esposa e um filho.

Nesse momento de dor, o Legislativo Conquistense se solidariza com a família, amigos, eleitores, correligionários e com toda a população itapetinguense por essa perda irreparável.

Prefeita de Conquista emite Nota de Pesar pelo falecimento de Leonardo Matos

A prefeita Sheila Lemos, em nome de toda a administração municipal, lamenta profundamente o falecimento do advogado e presidente da Câmara de Vereadores de Itapetinga, Leonardo Rodrigues Matos, aos 46 anos.

À esposa, Ana Bárbara, ao filho José Clemente, familiares e amigos, as condolências e a solidariedade da Prefeitura Municipal de Vitória da Conquista.

Com informações do G1

Levy Fidelix, presidente do PRTB, morre em SP aos 69 anos


O presidente nacional do PRTB, Levy Fidelix, morreu na noite desta sexta-feira (23) em São Paulo, informa rede social oficial de Fidelix. Ele tinha 69 anos e estava internado desde março em um hospital particular. A família não informou a causa da morte.

“É com profunda dor e pesar que o PRTB, por sua diretoria, comunica o falecimento do nosso líder, Fundador e Presidente Nacional, Levy Fidelix, ocorrida nesta data na cidade de São Paulo. Descanse em paz homem do Aerotrem!”, diz texto postado no Twitter de Fidelix.

Conhecido por defender o projeto “aerotrem” como principal meio transporte público, Fidelix concorreu a diversos cargos em mais de 10 eleições, mas nunca se elegeu. Tentou se eleger deputado federal (concorreu três vezes), governador (duas tentativas), presidente da República (concorreu duas vezes) e prefeito de São Paulo (em três eleições).

Sua última disputa eleitoral foi em 2020, quando tentou se tornar prefeito da cidade de São Paulo e teve apenas 11.960 dos votos, 0,22% do total. Nesta eleição, tentou o apoio de Jair Bolsonaro, mas o presidente optou por apoiar a candidatura de Celso Russomanno, que não foi ao segundo turno.

Jair Bolsonaro, Levy Fidelix e Hamilton Mourão durante convenção do PRTB em SP em 2018 — Foto: Renato S. Cerqueira / Futura Press / Estadão Conteúdo

Jair Bolsonaro, Levy Fidelix e Hamilton Mourão durante convenção do PRTB em SP em 2018 — Foto: Renato S. Cerqueira / Futura Press / Estadão Conteúdo

Fidelix ainda era um dos apoiadores de Bolsonaro e do vice-presidente Hamilton Mourão, que é filiado ao PRTB.

Fidelix deixa sua mulher, Aldinea Rodrigues Fidelix Cruz, que é vice-presidente do PRTB, e uma filha, Lívia Fidelix, que tentou se eleger deputada nas eleições de 2018.

Fundador do Partido Renovador Trabalhista Brasileiro (PRTB), Fidelix se formou em Comunicação Social e começou a carreira como publicitário; Trabalhou também em jornais como Correio da Manhã e Última Hora, e foi um dos fundadores das revistas “Governo e Empresa” e “O Poder”.

Nos anos 1980, trabalhou como apresentador de TV, em que entrevistava especialistas em tecnologia e políticos.

Os candidatos Levy Fidelix (PRTB), Dilma Rousseff (PT), Marina Silva (PSB), Eduardo Jorge (PV), Luciana Genro (PSOL), Aécio Neves (PSDB) e Pastor Everaldo (PSC) no início do debate em 2014 — Foto: Yasuyoshi Chiba / AFP

Os candidatos Levy Fidelix (PRTB), Dilma Rousseff (PT), Marina Silva (PSB), Eduardo Jorge (PV), Luciana Genro (PSOL), Aécio Neves (PSDB) e Pastor Everaldo (PSC) no início do debate em 2014 — Foto: Yasuyoshi Chiba / AFP

A carreira política começou em 1986, quando se candidatou à sua primeira eleição, como candidato a deputado federal por São Paulo. Mas não se elegeu.

Em 1989 e 1990 trabalhou como assessor de comunicação na campanha do então candidato à presidência da república Fernando Collor de Mello, que seria eleito. Em 1996, foi candidato à prefeitura de São Paulo e, em 1998, a governador do estado. Também não se elegeu.

Em 2002 voltou a se candidatar a governador do estado de São Paulo, a vereador em 2004 e a deputado federal em 2006. Não conseguiu se eleger em nenhum dos casos. Em 2008 foi candidato a prefeito de São Paulo e ficou fora do segundo turno.

Em 2010, concorreu à Presidência da República, e ficou em sétimo lugar entre os nove candidatos da disputa. Em 2011, tentou novamente o cargo de prefeito da cidade de São Paulo, e, outra vez, não obteve sucesso.

Levy tentou a presidência novamente em 2014 e, sem ir para o segundo turno, apoiou Aécio Neves, que perdeu a eleição para Dilma Roussef, reeleita.

Em 2018, apoiando Jair Bolsonaro à Presidência, concorreu ao cargo de deputado federal pelo estado de São Paulo, mas não conseguiu se eleger.

O candidato à Presidência Levy Fidelix é entrevistado no estúdio do G1 em 2014 — Foto: Caio Kenji / G1

O candidato à Presidência Levy Fidelix é entrevistado no estúdio do G1 em 2014 — Foto: Caio Kenji / G1

Revista Veja: Bem avaliado, Rui Costa supera Bolsonaro em cenário presidencial na Bahia


Revista Veja: O governador da Bahia, Rui Costa (PT), que está em seu segundo mandato e enfrenta um momento crítico no estado com o avanço da pandemia, segue bem avaliado pela população, segundo levantamento feito pelo instituto Paraná Pesquisas entre os dias 20 e 24 de março

A gestão do petista é aprovada por 68,5% dos entrevistados e desaprovada por 26,8%. Entre os consultados, 55,1% consideram a administração de Rui Costa ótima ou boa, enquanto 24,2% a avaliam como regular – 18,5% consideram o desempenho ruim ou péssimo

 

Governador do PT tem governo aprovado por 68,5% e aparece à frente do presidente, cuja gestão é rejeitada por 59,2% dos baianos, segundo o Paraná Pesquisas

A boa avaliação permite ao petista aparecer à frente do presidente Jair Bolsonaro em sondagem para a eleição presidencial de 2022 – o nome do petista surgia com frequência como presidenciável no partido, mas o quadro mudou após o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ter recuperado os seus direitos políticos e se tornado o candidato mais natural do partido para a corrida ao Planalto.

Segundo o levantamento, Rui Costa teria 28,5% dos votos contra 25% de Bolsonaro em uma hipotética corrida presidencial – a margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos, o que deixa ambos em condição de empate técnico.

Já o ex-presidente Lula venceria Bolsonaro com alguma facilidade (40,4% a 24,7%) no estado, que é um dos que mais reprovam o governo Jair Bolsonaro. Segundo o Paraná Pesquisas, a gestão do presidente tem a desaprovação de 59,2% entre os baianos. Quando a pergunta é sobre a classificação que dão à gestão, 50,7% a consideram ruim ou péssima (veja quadros abaixo)

Senado

A boa avaliação de Rui Costa também o torna favorito na corrida pela vaga ao Senado que estará em disputa em 2022.  O petista tem 45,5% das intenções de voto contra 9% do atual senador Otto Alencar (PSD) — que terá que renovar o mandato –, 7,3% do ex-deputado federal José Ronaldo (DEM) e 4,3% do deputado federal Cacá Leão (PP).

A única má notícia para o PT na Bahia é a pesquisa para o governo do estado, na qual o ex-prefeito de Salvador ACM Neto (DEM) lidera com mais de 25 pontos de diferença para o senador Jaques Wagner (PT), segundo o Paraná Pesquisas – leia a reportagem aqui.

 

 

[ÁUDIO]: Herzem não detalha estado de saúde: “Faremos um bom governo”, diz


Vitória da Conquista, BA

Após o crescimento dos rumores de que o prefeito Herzem Gusmão (MDB) estaria enfrentando “uma agressiva doença pulmonar”, ampliados pela escassez de boletins médicos, nesta segunda-feira (08), o ex-radialista enviou aos conquistenses um áudio, em que garante que ele, a vice-prefeita em exercício Sheila Lemos (DEM) e todo seu secretariado, estão exercendo o governo em pleno alinhamento de ideias e ações. “Faremos um bom governo”, disse com voz bem afetada pela doença.

Informou ainda que a prefeita Sheila Lemos “está indo à Brasilia”, mas não menciona a pauta da visita.

Saúde

Com uma foto fazendo positivo, Herzem não dá detalhes sobre exatamente o percentual em que seu pulmão continia afetado e nenhum laudo mais específico ainda foi divulgado. “É uma doença onde sabemos que precisamos ter paciência, demora a recuperação”. O que se sabe é que ele não está mais doente de covid-19, mas sim tratando a sequela deixada nos pulmões.

OUÇA A FALA COMPLETA:

Mulher que torcia pelo Palmeiras é morta a facadas pelo marido corintiano após título da Libertadores


Uma mulher de 34 anos foi morta a facadas pelo próprio marido após uma discussão envolvendo a final da Libertadores, conquistada pelo Palmeiras, no sábado, 30, na rua Rubens de Souza Araújo, no bairro São Domingos, em São Paulo.

Segundo a Polícia Civil, a vítima, Érica Fernandes Ceschini, que torcia para o alviverde, foi atingida por golpes de faca depois de um desentendimento com o companheiro, o corintiano Leonardo Ceschini, durante a comemoração do título, na madrugada de domingo, 31.

Em depoimento às autoridades, o suspeito afirmou ter sido golpeado primeiro pela vítima fatal e agiu em legitima defesa. Com ferimentos no abdômen, Leonardo foi encaminhado ao Hospital do Mandaqui, onde foi escoltado pela polícia, após ter sido autuado por homicídio qualificado.

Versão da Família

Pelas redes sociais a família de Érica questiona a versão dada pelo marido à Polícia. “Agora aproveito este momento para esclarecer algumas dúvidas. Minha irmã Érica foi brutalmente assassinada pelo meu cunhado. Ele desferiu golpes de faca nas costas e pernas de minha irmã após já tê-la agredido fisicamente. Então, após ter percebido a gravidade dos próprios atos, ele mesmo se esfaqueou para alegar legítima defesa. Não acreditem nas primeiras versões divulgadas na imprensa e redes sociais, porque em primeiro momento foi divulgado apenas a versão dele para se livrar das penalidades que provavelmente sofreria. Agora, que nós família da minha amada irmã, estamos sabendo aos poucos do real ocorrido pelos fatos que estão aparecendo”, afirmou a familiar de Érica

O caso foi registrado na 33° Delegacia de Polícia (DP) da cidade de Pirituba.

Fontes: A TARDE e ABCDJornal

Paraná Pesquisas: Bolsonaro lidera em todos os cenários na corrida presidencial para 2022


Revista Veja – O presidente Jair Bolsonaro lidera com índices superiores a 30% das intenções de voto os três cenários de primeiro turno para a eleição presidencial de 2022 projetados em levantamento exclusivo feito pelo instituto Paraná Pesquisas entre os dias 22 e 26 de janeiro.

Embora o presidente tenha oscilado negativamente em relação à sondagem feita em dezembro, ele ainda segue líder fora da margem de erro de dois pontos percentuais para mais ou para menos. Foi a primeira pesquisa feito pelo instituto após o fim do pagamento do auxílio emergencial e a primeira após o início da vacinação, dois temas que tinham potencial para desgastar Bolsonaro.

No cenário mais provável da disputa, Bolsonaro lidera com 30,5% das intenções de voto, seguido pelo ex-ministro Sergio Moro (12%), Ciro Gomes, do PDT (10,6%), Fernando Haddad, do PT (9,5%) e Luciano Huck (8,1%), todos empatados dentro da margem de erro.

O cenário mais favorável a Bolsonaro é aquele em que Moro não disputa, no qual o presidente aparece com 33,7% contra 12,1% de Ciro na segunda colocação – a diferença entre eles é de mais de 20 pontos.

á a simulação mais apertada de primeiro turno é quando Bolsonaro enfrenta o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) – nesse caso, a vantagem cai para menos de 14 pontos (31% a 17,3%. Vale lembrar que o petista está impedido de concorrer porque foi enquadrado na Lei da Ficha Limpa após ser condenado em segunda instância em processo da Operação Lava Jato – ele ainda tenta reverter a situação.

Segundo turno

Em um eventual segundo turno, Bolsonaro lidera em quatro dos cenários, mas empata tecnicamente com Moro (39,1% a 37,6%). Os dois se tornaram desafetos depois que o então ministro da Justiça e Segurança Pública deixou o cargo acusando o presidente de tentar interferir politicamente na Polícia Federal. O ex-juiz da Lava Jato, que agora está trabalhando para a iniciativa privada, nunca assumiu ser candidato. Nesse cenário, com dois contendores mais à direita do espectro político, é registrado o maior percentual de pessoas que dizem que irão votar em branco, nenhum ou anular o voto (18,5%).

Como ocorre no primeiro turno, o cenário mais apertado para Bolsonaro é aquele em que ele enfrenta Lula, quando consegue uma diferença de apenas sete pontos percentuais (42,4% a 35,7%). A simulação mais tranquila para o presidente é quando ele enfrenta João Doria – a distância entre eles é de mais de 15 pontos percentuais (44,9% a 29,4%).

Após polêmica com leite condensado, Portal da Transparência fica fora do ar


O Portal da Transparência do governo federal, meio pelo qual a administração presta contas dos gastos públicos, ficou fora do do ar entre a noite de terça-feira, 26, e o começo da manhã desta quarta, 27. O portal se tornou inacessível após os gastos do Executivo com alimentos – incluindo os R$ 15 milhões pagos em leite condensado – virarem centro do debate público e motivarem pedidos de investigação de parlamentares.

Internautas relataram indisponibilidade da plataforma nas redes sociais pelo menos desde as 22h30 da terça-feira. O Portal continuava fora do ar até por volta das 08h desta quarta. Apesar disso, o site principal do governo federal continuou funcionando normalmente no período, assim como a plataforma de ministérios como o da Economia e das Relações Exteriores. (mais…)

Eleições 2022: Bahia pode ter polarização entre ACM Neto (DEM) x Jaques Wagner (PT)


A disputa pelo governo da Bahia em 2022 pode ter frente a frente dois pesos pesados da política no estado: o ex-prefeito de Salvador ACM Neto (DEM) e o senador e ex-governador Jaques Wagner (PT).

Wagner tende a ser o candidato do atual governador, Ru Costa (PT), que não pode concorrer à reeleição. Já ACM Neto disse ser um nome “gabaritado” para concorrer ao governo, apesar de não se colocar como candidato, segundo o jornal A Tarde.

Outros nomes cotados são os dos deputados federais Pastor Sargento Isidório (Avante) e Lídice da Mata (PSB). Isidório foi candidato a prefeito de Salvador. Mais experiente no cenário político, Lídice já foi vereadora, deputada federal e estadual e prefeita da capital baiana e já concorreu ao governo.

Já o PSD pode lançar o senador Otto Alencar, presidente do partido na Bahia, ou apoiar um nome de partidos aliados – como o do atual vice-governador, João Leão (PP).

Fonte: Gazeta do Povo