Jesus e seus discípulos serão mostrados como gays em filme de Jean Willys – Boato ou Verdade?


É provável que você também tenha recebido através de amigos e grupos de whatsapp a seguinte mensagem: “O filme ‘Corpus Christi’ do diretor safado chamado deputado Jean Willys, aquele mesmo que ganhou o Big Brother, está para ser exibido nos cinemas. Com o patrocínio da Lei Renault. Este filme mostra Jesus e seus discípulos como gays!!! É uma paródia repugnante de Jesus (…)”. Mas será que é verdade isso?

Essa mensagem circula pela rede desde 2000 e pede para que se faça um abaixo-assinado digital para impedir que gravem um filme que mostra um Jesus Cristo tendo relações homossexuais com seus discípulos. Essa história é falsa! Não existe tal filme em projeto de ser gravado!

Segundo o site Snopes, essa história é mais antiga do que a própria internet, pois já circulou um boato semelhante a esse em 1984 e, um ano depois, mais de um milhão de cristãos já haviam escrito cartas protestando contra esse filme. De 2001 para cá, várias versões surgiram, inclusive em inglês, francês e espanhol.

Esse boato pode ter se originado de uma peça de teatro chamada Corpus Christi, onde o ator e roteirista Terrance McNally´s conta o fracasso homosexual entre Judas e Cristo (esse é chamado de Joshua na peça). De acordo com o jornalista Clark Hoyt “Quando Terrence McNally produziu o espetáculo teatral Corpus Christi pela primeira vez, há 10 anos, o teatro Manhattan Theater Club recebeu ameaças de incêndio e assassinato da equipe. A peça chegou a ser cancelada, mas acabou estreando após protestos da comunidade teatral. Na ocasião, o público tinha que passar por detectores de metal. ”

Agora, vamos supor que um abaixo-assinado com apenas 500 nomes funcionasse. Estaríamos pedindo a proibição do filme baseado em que lei? Cada país possui suas leis específicas. Por exemplo: o mulá Omar Bakri Mohammad setenciou à morte (fatwa) o dramaturgo Terrence McNally. Já, os Estados Unidos seriam menos radicais e poderiam até proibir a gravação de tal filme. Mas, os produtores poderiam simplesmente continuar as gravações em outro país e, pelo tempo que essa mensagem vaga pela net, já estaria pronto há muito tempo.

O que pode acontecer é que algum produtor possa se aproveitar do “comercial” que esse hoax já fez. Com certeza, seria um sucesso!  (Site E-Farsas)