Jovem denuncia homofobia após ser agredido na rua em Vitória da Conquista


Um jovem denunciou o crime de homofobia após ser agredido no meio da rua, na cidade de Vitória da Conquista, no sudoeste da Bahia.

Conforme a vítima, que preferiu não revelar a identidade, o autor do crime, que estava no mesmo ônibus que ele, conversou normalmente com ele e depois que os desceram do veículo, ele foi agredido.

“Ele me surpreendeu com um soco no rosto, eu caí e depois desse soco ele continuou me agredindo com vários pontapés”, disse o jovem.
O caso foi registrado na delegacia de Vitória da Conquista e é acompanhado pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), em Vitória da Conquista.

Segundo a polícia, o autor do crime fugiu após agredir a vítima e ainda não foi identificado. A presidente da Comissão de Diversidade e Identidade de Gênero da OAB, Sandra Paiva, afirmou que em situações de homofobia, quem agride pode ser preso e pagar uma multa.

“O crime de homofobia é aplicado a lei de racismo, é equiparado a lei de racismo. Ele pode ser condenado de um a três anos e se o fato for divulgado em rede social, essa pena pode ser aumentada de dois a cinco anos de reclusão”, explicou Sandra Paiva.

Segundo a psicóloga Ana Mara, as situações de violência podem provocar muitos traumas.

“Quanto mais intensa a agressão, seja ela física ou verbal, ela pode causar problemas emocionais de ordem bastante extensa na vida da pessoa que é agredida. Ansiedade, as vezes depressão, porque afeta normalmente a estima da pessoa e a capacidade de sentir segura, então a pessoa acaba se sentindo mais vulnerável, pode desenvolver uma certa desconfiança de que todas as outras pessoas tenham um potencial agressivo e fica mais alerta”, contou. (G1)