Planejamento financeiro: veja como não se endividar no começo do ano


(Imagem: via Google)

O novo ano chegou e, como sempre, trouxe com ele todas as despesas extras tradicionais do período. Para além dos gastos com as festividades de Natal e Ano Novo, janeiro traz o IPTU e o IPVA e, para aqueles com crianças e adolescentes em casa, também é período de preocupação com as despesas escolares. Para não se enrolar com tantas contas, é necessário entender como funciona cada gasto e, assim, se planejar.

 

Vamos começar com o IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano). Este imposto, como já é dito no nome, é aquele cobrado em cima da propriedade territorial e urbana: casas, prédios comerciais, etc. Ele é responsabilidade do Município, que tem o direito de cobrá-lo caso, no entorno do imóvel, sejam fornecidos pelo menos dois serviços básicos, tais como calçamento, iluminação pública, sistema de esgoto, água encanada etc. Para calcular o valor do imposto  é levado em conta  o valor comercial de cada imóvel. O valor pode ser pago integralmente numa única parcela – o que geralmente gera descontos para o contribuinte – ou ser dividido em algumas vezes. Em Conquista, além do carnê recebido em casa, o boleto de pagamento também pode ser emitido através da internet.

O IPVA (Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores) é cobrado sobre veículos: carros, motocicletas, camionetes, barcos etc. Seu pagamento é indispensável para o licenciamento do mesmo. O valor é diferente em cada estado. A data de vencimento da conta varia com o número final da placa de acada veículo, e o pagamento pode ser feito de uma vez, ou parcelado em três vezes. Assim como no IPTU, o pagamento em uma única parcela gera desconto no valor total para o contribuinte.

 

Outro gasto comum nessa época, para quem tem filhos, é o com a escola: material, uniforme, mensalidade, etc.

 

Para não se enrolar com tantos gastos, o planejamento é essencial. Assim, eis aqui algumas dicas:

 

1 – Separe parte do 13º para pagar as contas: os gastos de fim de ano não são inesperados, você sabe que eles virão. Então, se planeje com antecedência e separe parte do seu dinheiro para eles. O uso do 13º nas contas do período também pode ser muito útil.

 

2 – Sempre que possível, pague os impostos em uma parcela só: isso faz com que o valor total da conta seja menor, fazendo com que você gaste menos. Mas atenção: se o pagamento integral for comprometer seu orçamento mensal e atrasar contas básicas como a de luz e água, é preferível parcelar o pagamento dos impostos, para que o impacto seja menor.

 

3 – Dê preferência para as dívidas com juros mais altos: se tiver que escolher entre pagar uma conta integralmente e parcelar as outras, veja qual delas tem uma taxa de juros mais alta – ou um desconto maior no pagamento único – e pague-a. Assim, você economiza no valor total do pagamento.

 

4 – Tirar das economias para pagar dívidas pode valer a pena: se a taxa de juros da sua dívida for maior que seu rendimento com a poupança ou outras aplicações, vale a pena usar o dinheiro guardado para pagar a dívida. O dinheiro usado pode e deve ser reposto mais tarde.

 

5- Compre o material escolar antecipadamente: com o retorno das aulas geralmente previsto para fevereiro ou março, os materiais escolares começam a ficar mais caros a partir de janeiro. Assim, antecipar as compras de materiais rotineiros, como mochilas, cadernos e lápis pode aliviar as despesas de início de ano. Como são materiais não perecíveis, não há problemas em mantê-los guardados por alguns meses.

 

6 – Separe parte do seu salário para emergências: imprevistos acontecem e situações de urgência podem aparecer, então ter dinheiro guardado para elas é importante. Uma dica interessante é guardar um valor fixo do salário assim que o receber, ao invés de guardar “o que sobrar” ao fim do mês. Assim, você controla melhor seus gastos ao longo do mês e tem sempre uma reserva guardada.

 

7 – Planeje e controle seus gastos: o início do ano é o momento perfeito para avaliar os gastos do ano anterior e descobrir onde se gastou mais e o porquê. Também é o momento ideal para começar a colocar na ponta do lápis todos os seus gastos. Assim, você descobre quanto gasta em cada coisa, quais gastos foram inesperados, quais foram desnecessários e onde você pode economizar mais.