Projeto ‘Samba da Bahia Pra Toda a Bahia’ fará homenagem a sambistas baianos dos anos 60 e 70



“A Bahia, estação primeira do Brasil”! O verso de Caetano Veloso traduz o melhor do batuque baiano e também mostra o quanto o nosso samba se alastrou pelo território nacional. Este que é um dos ritmos mais tradicionais do país, matéria-prima das inúmeras células rítmicas tocadas em todos os carnavais.

 

Nomes como Riachão, Gordurinha, Batatinha, Tião Motorista, Walmir Lima, Panela, Nelson Rufino, Edil Pacheco, Roque Ferreira e Ederaldo Gentil, estão entre os nomes celebrados


Aqui na Bahia, alguns dos nomes que levaram o nosso samba para o destaque brasileiro foram:

Riachão, Gordurinha, Batatinha, Tião Motorista, Walmir Lima, Panela, Nelson Rufino, Edil Pacheco, Roque Ferreira e Ederaldo Gentil, dentre outros nomes consagrados e que despontaram durante as décadas de 1960 e 1970. Sambistas que vão ser homenageados no projeto Samba da Bahia Pra Toda Bahia, um espetáculo que será disponibilizado no dia 09 de abril, às 20h00.

“É importante destacar que, por conta da infinidade de ramificações dentro do próprio samba da Bahia, o nosso trabalho vai se debruçar exclusivamente sobre a obra dos compositores homenageados, destacando as canções que marcaram a trajetória de cada um. A exemplo de ‘Ilha de Maré’, Walmir Lima (com Lupa); ‘Chiclete com Banana’, de Gordurinha (em parceria com Almira
Castilho); ‘Samba Pras Moças, de Roque Ferreira (com Grazielle) e ‘Não deixe o samba morrer’, de Aloísio Silva, (com Edson Conceição) entre outros sucessos”, explica o músico e cantor João Luiz, coordenador do projeto.

Para a realização do espetáculo, vai ser montada uma estrutura de palco com som, iluminação e cenários que remetem à cultura do samba da Bahia. Além disto, no início da transmissão, serão exibidos alguns depoimentos de personalidades ligadas ao samba, para evidenciar a nobreza desse gênero musical e também para destacar a importância do legado cultural deixado pelos homenageados.

“A pesquisa está sendo um elemento crucial deste trabalho, porque além do levantamento histórico, cultural e social do contexto em que o samba da Bahia está inserido, a célula rítmica marcante do samba baiano também estará em evidência”, pontua João Luiz.

O espetáculo Samba da Bahia Pra Toda Bahia conta também com os músicos João Omar, que assina a direção musical, Gabriela Mello (violoncelo), Emílio Bazé (Percussão), Petrônio Joabe (violão sete cordas) e Rafael Barreto (cavaquinho), todos de Vitória da Conquista, “para mostrar que o sertão também ama o samba”, brinca João Luiz.

Mas, antes do dia da apresentação, o público poderá conhecer um pouco mais sobre a história do samba e dos sambistas da Bahia por meio de uma série especial de entrevistas, que vão ser transmitidas on-line, com pesquisadores, escritores, comunicadores, músicos e personalidades com vivência na cultura do samba, como o radialista Perfilino Neto, a cantora Luanda Lemos, o músico André Carvalho, a jornalista Luciana Melo e o professor e músico Paulo Pires. Estas entrevistas vão acontecer, ao vivo, no Instagram do artista João Luiz, nos dias 05, 12, 19 e 26 de março e a última será exibida no dia 02 de abril, sempre às 20h.

Para João Luiz, a expectativa é que “pessoas de gerações diferentes, principalmente do interior do Estado, possam entrar em contato com um pouco da história de sambistas como Batatinha, Riachão, Panela, por exemplo, e perceber que ainda existe na Bahia um movimento que preza pela continuação dessa vertente tão rica do nosso samba”, revela.

As ações do projeto Samba da Bahia Pra Toda Bahia têm o apoio do Governo do Estado da Bahia, por meio da Secretaria de Cultura (Secult-BA) e da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb), graças à iniciativa do Programa Aldir Blanc Bahia, via Lei Aldir Blanc, direcionada pela Secretaria Especial da Cultural do Ministério do Turismo, do Governo Federal.

SERVIÇO

Espetáculo Samba da Bahia pra Toda Bahia

Apresentação musical gratuita e online

Acesso:   https://www.youtube.com/channel/UCSD_NIV-4leqhL9I-qz2Rpg

Dia 09 de abril, às 20h00