“Lula é o maior corruptor da história brasileira”, afirma Ciro


Ciro Gomes (PDT) afirmou que o seu alvo na corrida eleitoral de 2022 é o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). “Eu vou pra cima dele [Lula], é o maior corruptor da história brasileira”, disse em entrevista publicada pelo jornal Valor Econômico nesta 2ª feira (17.mai.2021).

Para ele, o ex-presidente é “parte central da corrupção” e quer apenas voltar ao poder. “Lula se esforça para retomar o poder e eu, para recuperar o país. O povo vai arbitrar.”

Ciro também afirmou que existe a possibilidade de que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) não chegue ao 2º turno das eleições. De acordo com ele, “vai faltar chão” para alavancar a candidatura de Bolsonaro.

“Hoje, a tendência consistente é que Lula está em seu máximo e Bolsonaro, em processo de derretimento”, avalia o pedetista.

Foram 2.500 entrevistas em 489 municípios nas 27 unidades da Federação. A margem de erro é de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos. Saiba mais sobre a metodologia lendo este texto.

Mas, para Ciro, a probabilidade de um 2º turno entre ele e o ex-presidente está crescendo. Ele também afirma que o governador João Doria (PSDB), um dos possíveis nomes da sigla tucana, não conseguirá avançar na disputa.

“Acho que [Sérgio] Moro e [Luciano] Huck não são candidatos. Nem Doria. Se ele for, será fragilizado porque está muito mal em São Paulo e nunca teve entrada no Brasil. O único organizado, com o partido harmônico, sem confusão, sou eu.”

Para isso, Ciro avalia que é necessário uma aliança com o centro. O pedetista afirma que está conversando com o DEM, apesar dos problemas internos do partido, como o rompimento do deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ). Ele afirmou também que existe uma disputa entre o ministro da Secretaria Geral da Presidência, Onyx Lorenzoni, e o presidente do partido, ACM Neto.

“Bolsonaro tenta apropriar-se do DEM em hostilidade ao ACM Neto. É disputa que está acontecendo. Onyx é do DEM. Vamos ver quem ganha“, afirma.

Além disso, Ciro afirma que já tem propostas para uma aliança com outros partidos.

“O PSD tem proposta formal para nossa aliança, além do PSB, PV e Rede. É com essa aliança que estou trabalhando“, afirmou. E completou: “Mas o Brasil não cabe na esquerda, nunca coube. Mas também não cabe na direita. O que precisamos é de uma aliança de centro-esquerda.“

Fonte: PODER 360