[CASO HIAGO]: Delegado acredita que adesivo de aplicativo ao lado do corpo foi para despistar investigações


Jovem que trabalhava como motorista de app e desapareceu ao sair para fazer corrida é encontrado morto na Bahia — Foto: Reprodução/Redes Sociais

 

Um crime brutal e com requintes de crueldade. Assim foi a execução do estudante de odontologia Hiago Evangelista Freitas, de 24 anos. Hiago trabalhava como motorista do aplicativo Uber e desapareceu desde a última quarta-feira (06). Seu corpo foi encontrado em um terreno próximo do Conjunto Penal de Vitória da Conquista e estava parcialmente carbonizado, com uma perna decepada.

O carro do estudante foi encontrado na Rua Corrente, localizada no bairro Alto Maron em Vitória da Conquista. Entre as rotas identificadas pela polícia, o veículo passou pelos bairros Patagônia e Morada Real. Fabiano Aurich, delegado responsável pelo caso, acredita que Hiago tenha sido sequestrado. Os locais apontados pelo aplicativo estão sendo inspecionados pela polícia local.

Um adesivo de aplicativo foi encontrado ao lado do corpo de Hiago sob uma pedra, o que levou pessoas a cogitarem a possibilidade de sua execução estar ligada à rivalidade entre concorrentes de serviços de transporte de passageiros. Horas depois do corpo de Hiago ter sido encontrado, foram compartilhados áudios nas redes sociais afirmando que o caso tivesse relação com disputas entre motoristas de aplicativo e taxistas. Para o delegado as afirmações, além de não terem procedência, são inconsequentes.

A Polícia Civil considera remota que o crime tenha relação com a sua atividade de motorista por aplicativo. O delegado Fabiano Aurich, afirma que as investigações apontam para outro caminho.Para os investigadores, pode ter havido uma tentativa de enganar a polícia para que não seja descoberto o verdadeiro motivo do crime. O delegado diz já ter pistas, mas que não pode revelar detalhes para não atrapalhar as investigações.

Na quarta-feira (6), Hiago havia informado à companheira que faria uma corrida para Barra do Choça, cidade a 27 km de Vitória da Conquista. Com o passar do tempo, Isadora começou a se preocupar pois Hiago não tinha entrado em contato com ela como era de costume. O último contato dela com o jovem foi antes das 23h.

A rotina de Hiago era conhecida pela companheira e familiares. Ele buscava todos os dias a namorada e mais uma amiga do casal em casa. Os três são estudantes de odontologia e prestam atendimento aos pacientes durante o turno da manhã. Durante a noite, Hiago trabalhava como motorista de aplicativo.

A Fainor decretou luto oficial de três dias, sem suspensão das atividades. Em uma publicação nas redes sociais, a instituição escreveu que “toda a comunidade acadêmica se solidariza com a família neste momento de dor”.

Hiago será enterrado hoje (09) em Guanambi, sua terra natal.

Com informações do Blitz Conquista