Cerca de 100 agentes de segurança patrimonial devem ficar de fora da Guarda Muncipal


Arquivo: O Prefeito Herzem Gusmão com agentes de segurança patrimonial do município
O vereador Valdemir Dias (PT) apresentou na Sessão Ordinária desta quarta-feira (31), realizada de forma virtual, uma denúncia envolvendo agentes de segurança patrimonial que não aderiram à Guarda Municipal (GM). Segundo o vereador, mais de 100 servidores poderão ser enquadrados na categoria de serviços gerais por não terem sido absorvidos pela GM.

A situação foi contestada pelo vereador Valdemir Dias, que lembrou uma emenda feita ao Projeto de Lei que criou a Guarda Municipal. Segundo ele, esses servidores têm proteção jurídica e os agentes de segurança patrimonial não podem ser classificados como serviço geral. “Eles não podem ser migrados assim. A prefeita Sheilla Lemos precisa encontrar um meio termo, pois a categoria está preocupada. Não pode passar a régua dessa forma”, afirmou o vereador.

Outro aspecto abordado pelo vereador foi o corte do adicional noturno feito pela prefeitura nos salários dos alunos da Guarda Municipal. O vereador lamentou essa decisão do Governo Municipal e lembrou os contratos milionários firmados com contabilidades. “Só uma empresa de contabilidade recebeu da prefeitura, no ano passado, R$ 2 milhões. Não precisava fazer isso com o servidor”, afirmou o vereador. Ele lembrou ainda que os cortes vêm sendo feitos também em outras categorias de servidores municipais.