[Covid-19]: Prefeitura admite possibilidade de ‘subnotificação’ de casos; ‘Governo do Estado não envia kits necessários às demandas de Conquista’, acusa


Uma briga entre a Prefeitura de Conquista e o Governo do Estado sobre a quantidade insuficiente de testes para identificar o Coronavírus e a possibilidade de subnotificação de casos revela que a situação de Vitória da Conquista pode ser muito mais grave do que mostram os módicos dados que estão sendo divulgados. 

No domingo (22), a Prefeitura denunciou que a Secretaria de Saúde do Estado da Bahia não estava disponibilizado para o município a quantidade suficiente de testes para identificar o Coronavírus, causando ‘subnotificação (número de casos menor) sobre o real número de infectados’ na cidade. O texto, de forma subjacente, relacionou o pedido aos conquistenses para ficarem em casa ao fato de não se saber ainda quantos podem estar infectados.

“É importante reforçar que a população de Vitória da Conquista deve realizar o isolamento social como medida de prevenção, uma vez que não está sendo disponibilizado para o município quantidade suficiente de testes pela Secretaria de Saúde do Estado da Bahia, o que pode gerar subnotificação sobre o real número de infectados em nosso Município. Por isso, todas as medidas de prevenção precisam ser cumpridas com rigor”, disse nota da Prefeitura no domingo

GOVERNO REBATE À PREFEITURA 

Na manhã de hoje, a Secretaria Estadual da Saúde emitiu uma nota, desmentindo a Prefeitura e afirmando que ‘nunca disponibilizou um único teste para Vitória da Conquista ou qualquer outro Município’ e disse que  ‘a coleta do material em pacientes com sintomas da covid-19 pode ser feita com aparelho descartável disponível em qualquer unidade básica de saúde’.

O Governo disse ainda que ‘as 417 Secretarias Municipais de Saúde devem encaminhar o material adequadamente coletado em suas unidades para o Laboratório Central do Estado’ e que ‘o Lacen entrega os resultados em um tempo médio de 48 horas’.

A nota do Estado ressaltou ainda que ‘a razão das medidas restritivas é a necessidade de conter a contaminação e não a falta de testes, que nunca foram fornecidos’ e que ‘a possibilidade de subnotificação admitida pela Prefeitura Municipal de Vitória da Conquista, em sua nota oficial, precisava ser testada urgentemente’, pois em caso de subnotificação um ‘eventual atraso nas medidas emergenciais pode custar vidas’.

PREFEITURA FAZ RÉPLICA E NOVAS DENÚNCIAS CONTRA ESTADO

A Prefeitura disse hoje que todos os insumos relacionados aos exames de Saúde Pública são de responsabilidade exclusiva do Estado, incluindo os testes para o Covid-19; admitiu sua responsabilidade em fazer a coleta, mas voltou a acusar o Estado de não enviar os kits necessários para executar o procedimento,

A Secretaria Municipal de Saúde esclareceu  ainda que o ‘aparelho descartável disponível em qualquer unidade básica’, mencionado pelo governo, denomina-se ‘swab’ (tipo um cotonete), mas que estes necessitam ‘de um meio de cultura para que o material coletado seja preservado’ e que  ‘os frascos com essa cultura são, na Bahia, produzidos e distribuídos unicamente pelo Lacen, Laboratório Central do Estado’.

Na nota, o Governo Herzem  ressalta que pela Lei, a responsabilidade de abastecer os municípios com os insumos necessários para coletar esses exames é do Estado e que ‘Conquista não vem recebendo os kits necessários às suas demandas’. 

‘RAPIDEZ’ DO LACEN ‘NÃO É FATO’, DIZ PREFEITURA

‘Outra informação que a nota traz é de que os resultados são liberados em 48 horas. Isso, também, não é fato. Queríamos, e muito, essa rapidez, mas os resultados do Lacen para os testes de Conquista têm demorado, em média, cinco dias para serem liberados. O boletim desta segunda (23), é prova disso: de ontem para hoje não foi emitido pelo Lacen nenhum novo resultado para Conquista”, diz a nota.

Toda essa discussão e troca de farpas deixa pelo menos um fato evidente: Vitória da Conquista não tem noção ainda da quantidade de pessoas infectadas. 

LEIA A ÍNTEGRA DA NOTA DA GOVERNO DO ESTADO

Sobre medidas preventivas contra a pandemia e “testes”, a Secretaria Estadual de Saúde esclarece:

Mencionada em comunicado oficial da Prefeitura Municipal de Vitória da Conquista, a Secretaria Estadual da Saúde esclarece que nunca disponibilizou um único teste para Vitória da Conquista ou qualquer outro Município.A coleta do material em pacientes com sintomas da covid-19 é feita com aparelho descartável disponível em qualquer unidade básica de saúde.As 417 Secretarias Municipais de Saúde devem encaminhar o material adequadamente coletado em suas unidades para o Laboratório Central do Estado, reconhecido pela sua eficiência e precisão.O Lacen tem funcionado em regime de 24 horas e os resultados, num prazo médio de 48 horas, estão disponíveis para as secretarias municipais que os solicitaram.A Sesab saúda o Decreto Municipal 20.202, acompanhando prefeituras, como a da capital, que dois dias antes, foram as primeiras a municipalizar as ações, através de atos administrativos em busca de harmonia e colaboração neste momento de grave ameaça à população.A razão das medidas restritivas é a necessidade de conter a contaminação, e não a falta de “testes” que nunca foram fornecidos.
A possibilidade de subnotificação admitida pela Prefeitura Municipal de Vitória da Conquista, em sua nota oficial, precisa ser testada urgentemente. Se houve subnotificação, que não é gerada pela falta de “testes” nunca foram distribuídos, o eventual atraso nas medidas emergenciais pode custar vidas.O Governo da Bahia leva a todas as prefeituras, o mesmo apelo dirigido ao governo federal, para que a sensibilidade conduza à compreensão de que nada é mais importante, neste momento, do que defender a vida.

LEIA A INTEGRA DA NOTA DA PREFEITURA

A Prefeitura de Vitória da Conquista esclarece que todos os insumos relacionados aos exames de Saúde Pública são de responsabilidade exclusiva do Estado, e esta responsabilidade incluiu os testes para o Covid-19. Para isto, a Sesab deve enviar os kits necessários aos municípios para que as secretarias de Saúde locais façam a coleta, esta, sim, de responsabilidade municipal.

Ao informar, em nota, que o material necessário encontra-se em qualquer unidade de Saúde, o autor do texto deve estar se referindo ao coletor denominado swab, específico para a coleta viral e produto de aquisição relativamente fácil. Mas esqueceu-se de referir que este swab necessita de um meio de cultura para que o material coletado seja preservado. Os frascos com essa cultura são, na Bahia, produzidos e distribuídos unicamente pelo Lacen, Laboratório Central do Estado.

Independente da facilidade, ou não, de se encontrar os insumos necessários, essa responsabilidade de abastecer os municípios repousa, pela Lei, nos ombros do Estado, e Conquista não vem recebendo os kits necessários às suas demandas.

Outra informação que a nota traz é de que os resultados são liberados em 48 horas. Isso, também, não é fato. Queríamos, e muito, essa rapidez, mas os resultados do Lacen para os testes de Conquista têm demorado, em média, cinco dias para serem liberados. O boletim desta segunda (23), é prova disso: de ontem para hoje não foi emitido pelo Lacen nenhum novo resultado para Conquista.

A Prefeitura de Vitória da Conquista acredita que o momento é de união de forças para impedir que a pandemia se espalhe, ainda mais, pela Bahia. Questões políticas devem ser deixadas de lado! A hora é de arregaçar as mangas!

Estamos fazendo a nossa parte, na certeza de que o Governo do Estado faça a parte dele.