Dois meses após ser solto ex-estudante de odontologia que aplicou golpe em Conquista é preso novamente


O ex-estudante de odontologia investigado por lesão corporal e exercício ilegal da profissão nas cidades de Vitória da Conquista e Itabuna, na Bahia, foi preso na quinta-feira (13). A situação ocorreu dois meses depois dele ser solto.

Paulo Henrico Almeida, de 36 anos, é suspeito de causar lesões e mutilações em pelo menos 15 pessoas atendidas por ele nas duas cidades baianas. Uma das vítimas teve 9 dentes extraídos de uma só vez. Por causa disso, ele acabou preso em 30 de setembro. No entanto, foi liberado no dia 18 de dezembro de 2019, após a Justiça conceder um habeas corpus.

A prisão da última quinta-feira ocorreu depois que o investigado teve o pedido de revogação de prisão preventiva negado durante audiência de custódia. A prisão ocorreu em Itabuna. Ele foi encaminhado para o conjunto penal da cidade ainda na quinta.

A reportagem entrou em contato com a defesa de Paulo Henrico, que afirmou que não vai se posicionar por enquanto.

Caso

Homem teve nove dentes extraídos de uma só vez por falso dentista na Bahia  — Foto: Reprodução/TV Santa Cruz Homem teve nove dentes extraídos de uma só vez por falso dentista na Bahia  — Foto: Reprodução/TV Santa Cruz

Homem teve nove dentes extraídos de uma só vez por falso dentista na Bahia — Foto: Reprodução/TV Santa Cruz

Paulo Henrico se apresentava como estudante de odontologia, mas atuava como dentista formado. Em Conquista, em maio de 2019, o Conselho Regional de Odontologia (CRO) o denunciou pela atuação irregular. Já em Itabuna, a Polícia Civil pediu a suspensão temporária da clínica onde ele atuava.

Entre as vítimas está um homem que disse ter nove dentes extraídos de uma só vez, durante uma consulta no município de Itabuna.

A vítima, que preferiu não se identificar, contou que procurou o Paulo Henrico sem saber que ele não era um profissional formado. Ele disse que estava com uma inflamação em um dos dentes e destacou que foi surpreendido com as extrações.

Segundo o homem, o procedimento foi realizado no mesmo dia em que ele passou por consulta com o suspeito, que ainda receitou remédios.

G1 Bahia.