[VÍDEO:]: Em evento de Haddad, Cid Gomes chama petistas de “babacas” e diz que “PT vai perder feio”


Ex-governador do Ceará e irmão do presidenciável Ciro Gomes, o senador eleito Cid Gomes (PDT-CE) criticou petistas, chamando-os de “babacas” ao ser hostilizado quando pediu, em um evento em apoio a Fernando Haddad, que o PT faça um “mea culpa”.

A saia justa começou quando Cid Gomes, que discursava, pediu que os petistas admitissem os erros que cometeram quando esteve no comando do país. (mais…)

E agora, Gabeira?


Morris Kachani

Seja como guerrilheiro, exilado, militante dos direitos humanos, ambientalista, deputado, jornalista ou escritor, Fernando Gabeira se dedica à vida política brasileira há praticamente meio século.

Gabeira foi filiado ao PT até 2003, quando se deu um rompimento rumoroso com Lula e seu séquito. Foi também colega de Jair Bolsonaro por 16 anos, na Câmara dos Deputados.

Ele, autor do clássico “O que é isso, companheiro?”, que entre tantas revolucionou os costumes com a icônica tanga de crochê rosa, no começo dos 80, e mais recentemente recebeu um ‘abraço hetero’ de Bolsonaro, com o ex-capitão dizendo-se apaixonado, em entrevista na GloboNews, há dois meses.

Gabeira construiu uma trajetória original e de respeito, e em suas palavras talvez estejam algumas chaves para se entender o tempo de hoje.

“Eu acho que a sobrevivência da democracia não está ameaçada, mas a qualidade dela, sim. A situação brasileira pode ser um pouco mais aproximada com a situação dos Estados Unidos, onde a regressão autoritária acontece de uma certa maneira contrabalanceada pelas instituições, pela justiça, mídia, parlamento”.   (mais…)

Ibope: No 2º turno, Bolsonaro vai a 59% dos votos válidos; Haddad tem 41%


Foto: Adriano Machado e Rodolfo Buhrer/Reuters

O candidato Jair Bolsonaro (PSL) lidera a corrida presidencial, com 59% das intenções de voto, na primeira pesquisa Ibope/Estado/TV Globo do segundo turno. A duas semanas da eleição, o deputado e capitão reformado tem 18 pontos porcentuais de vantagem sobre Fernando Haddad (PT), que aparece com 41%.

O cálculo considera apenas os votos válidos, ou seja, exclui os nulos, brancos e indecisos. Levando em conta o eleitorado total, o placar é de 52% a 37% a favor de Bolsonaro. Há ainda 9% dispostos a anular ou votar em branco, enquanto 2% não souberam responder.

Após participar na noite desta segunda-feira de evento em homenagem ao Dia do Professor, Haddad minimizou a diferença. “Temos o desafio de tirar nove pontos dele e passar para nós. É uma tarefa difícil, mas é muito mais difícil aguentar quatro anos de governo dele.” Já Bolsonaro não se manifestou sobre os resultados até a conclusão desta edição. (mais…)

Agora sem ‘Foro’, Lúcio Vieira cai nas mãos de Moro


Não deu. Mesmo gastando altas somas na campanha eleitoral, Lúcio Vieira Lima (MDB), irmão do político preso por  corrupção, Geddel Vieira Lima,não conseguiu se reeleger. Lúcio perdeu o chamado foro privilegiado e agora estará nas mãos de Sérgio Moro.

Sem foro, é Moro’
A expressão se tornou um ditado corrente entre políticos em Brasília quando a Lava Jato estava em seu auge, de 2014 a 2017. Na verdade, nem todos os casos de ex-deputados, ex-senadores e ex-governadores derrotados nas urnas irão necessariamente para a mesa do juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal, em Curitiba: o deslocamento só ocorrerá nos casos em que a Justiça entender que exista uma relação clara com os desvios praticados na Petrobras. (mais…)

Haddad promete unificar o Brasil, mas não resolve racha dentro do PT


Apesar do discurso de que quer unir os democratas em prol do Brasil, o candidato à Presidência, Fernando Haddad, do PT, não consegue unificar a estratégia de campanha dentro do próprio partido.

Entre os petistas há uma disputa entre a versão de que Haddad tem de insistir no que foi feito até agora e tentar uma ainda maior transferência de votos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e quem ache que, mesmo sem abandonar o líder, é preciso dar mais voz ao candidato Haddad.

“O PT tem que falar mais, mas antes de falar mais precisa combinar o que vai dizer”, disse uma fonte à Agência Reuters.

Uma das questões que preocupam o partido é o indício de que o PT perdeu votos para Bolsonaro em um eleitorado tradicional do partido, entre eleitores até 2 salários mínimos, inclusive no Nordeste. (mais…)

[CLÁUSULA DE BARREIRA]: 14 partidos podem ficar sem fundo partidário, propaganda eleitoral e estruturas no Legislativo


A Lei de Cláusula de Barreira aprovada em outubro do ano passado, determina já para este ano, cláusulas de desempenho eleitoral para que os partidos políticos tenham acesso ao fundo partidário e ao tempo gratuito de rádio e televisão nas próximas eleições, além de acabar com as coligações para eleições proporcionais para deputados e vereadores, nesse caso a partir de 2020.

Só terá direito ao fundo e ao tempo de propaganda o partido que tiver recebido ao menos 1,5% dos votos válidos nas eleições de 2018 para a Câmara dos Deputados, distribuídos em pelo menos 1/3 das unidades da federação (9 unidades), com um mínimo de 1% dos votos válidos em cada uma delas. Se não conseguir cumprir esse parâmetro, o partido poderá ter acesso também se tiver elegido pelo menos 9 deputados federais, distribuídos em um mínimo de 9 unidades da federação. (mais…)

Veja como foi o desempenho de candidatos a deputados de Conquista


Gilmar e Lúcio não se elegeram

Nas eleições os apoios de personalidades políticas servem de capital social para alianças que sendo produtivas resultam em futuros benefícios e reciprocidade para todos os envolvidos. Em Vitória da Conquista, os candidatos a deputado estadual e federal, que defendem as políticas e decisões prefeito do MDB, Herzem Gusmão, tiveram um pífio desempenho nas votações, como GILMAR FERRAZ (MDB) que obteve apenas 6.552 votos para deputado estadual. A candidata a deputada federal, SHEILA LEMOS (DEM), apoiada por ACM Neto e filha da vice-prefeita, Irma Lemos, conseguiu o respaldo de 5.960 votos.

Outros candidatos conquistenses tiveram mais expressividade nas urnas, gastando bem menos que os concorrentes, foi o caso de DAVID SALOMÃO, que obteve excelentes 38.277 votos, na sua primeira vez como candidato à federal e LUCIA ROCHA (DEM), com 26.130 votos. O médico Dr. João Aragão (PTC), candidato a deputado estadual, obteve 12.901 votos, o que representa mais que os votos de Gilmar Ferraz e Sheila Lemos somados, com uma campanha bem modesta.

ROBERTO DIAS (PDT), do Grupo Independente, teve apenas 831 votos. O empresário KLÉBER DOUTOR SAÚDE, obteve 1.958 votos como candidato a deputado federal.

Outros aliados  e ex-secretários de Herzem também não se elegeram. Foi o caso de MARCELO MELO (PHS), candidato a Federal, que teve 19.751 votos.Ciano Filho (PROS), que antes usava o nome “CIANO DE HERZEM”, teve 5.039 votos e O CORONEL ESMERALDINO (PSDB), que teve parcos 3.671 votos.

O irmão de Geddel, LÚCIO VIEIRA LIMA (Federal), mesmo com seus 55.743 votos, não conseguiu se eleger. Lúcio apareceu exaustivamente na campanha da TV, juntamente com Gilmar Ferraz, e sempre foi usado como “cartão de visitas” pelos aliados do prefeito Herzem Gusmão. Pelo visto, a família Vieira Lima ainda continua com a “lepra” política, extremamente contagiosa.

 

 

 

Veja quem são os 63 deputados estaduais eleitos na Bahia


Os eleitores baianos elegeram, neste domingo (7), os 63 deputados estaduais para compor o novo mandato na Assembleia Legislativa (Alba), a partir de janeiro de 2019. Os filhos de Ângelo Coronel e Pastor Sargento Isidório garantiram os postos de campeões de votos. Zé Raimundo, ex-prefeito de Conquista, teve 94.014 votos.

Dos 63 deputados estaduais eleitos na Bahia, 10 são do PT. A legenda que conseguiu o segundo maior número de candidatos eleitos foi o PSD, com 9.

Os três candidatos mais votados foram Joao Isidório (AVANTE), Rosemberg (PT) e Diego Coronel (PSD). Juntos eles tiveram 312.759 mil votos.

Nessa eleição, mais de 80% dos 63 atuais deputados estaduais tentaram a reeleição para se manter nos cargos. Do número total de políticos que atualmente estão na Assembleia Legislativa, 51 registraram candidaturas no Tribunal Regional Eleitora (TRE) para permanecer atuando na casa. (mais…)

Rui “Correria” é reeleito


Rui Costa (PT) foi eleito para o seu segundo mandato como governador da Bahia no primeiro turno da eleição, realizado neste domingo (7). A vitória dele já era projetada nas pesquisas de intenção de voto divulgadas ao longo da campanha, que indicavam larga vantagem sobre Zé Ronaldo (DEM). Ao longo das parciais divulgadas pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) até o momento, o petista aparece sempre com mais de 70% dos votos válidos.

A vitória de Rui representa também o quarto mandato consecutivo do PT no governo da Bahia. A comemoração do partido está marcada para acontecer no bairro do Rio Vermelho, em Salvador, na noite deste domingo. No local, ele deve concecer entrevista coletiva à imprensa. Em 2014, o petista também foi reeleito no primeiro turno, mas com 54,53% dos votos válidos. Há quatro anos, o segundo colocado também era do DEM. Paulo Souto teve 37,39% dos votos válidos.

(Bahia Notícias)