Como saber se você produziu anticorpos após a vacina da COVID-19


Até o dia 09 de junho, foram aplicadas quase 75 milhões de doses vacinais contra a COVID-19 (SARS-CoV-2) no Brasil. As vacinas disponíveis no país mostraram taxas de eficácia geral entre 50 e 70% nos estudos clínicos de avaliação. Isso indica que, ao entrar em contato com o vírus, a probabilidade de se infectar e apresentar quadro clínico sintomático cai para menos de 50% após a segunda dose da vacina. É um valor muito significativo ainda mais se considerarmos que, em relação ao desenvolvimento de quadros graves, a proteção das vacinas pode chegar próximo a 100%.

Um dos principais efeitos da vacina para promover proteção ao vírus é a produção de anticorpos pelo sistema imune com capacidade de neutralizar o vírus, impedindo que ele inicie a infecção ou que ela evolua para quadros graves, conforme explica Carlos Aita, médico patologista clínico responsável pela assessoria médica do laboratório DB Diagnósticos. Um estudo da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) evidenciou que cerca de 85% dos pacientes que receberam a vacina CoronaVac produziram anticorpos neutralizantes.

Aita explica que, quando o paciente é vacinado, isso induz uma resposta imune direcionada aos antígenos vacinais. Dentre os vários complexos mecanismos componentes dessa resposta, a produção de anticorpos é um deles e, em geral, o mais estudado e comumente avaliado devido à facilidade na sua dosagem. Diversos tipos de anticorpos são formados nessa resposta, incluindo aqueles conhecidos como neutralizantes. O nome vem da capacidade de se ligar em estruturas, antígenos do vírus, desse modo impedindo a sua entrada nas células e infecção. Ou seja, “neutralizando” o vírus. A grande maioria das vacinas desenvolvidas para COVID-19 usa como antígeno indutor da resposta imune a proteína Spike (por exemplo a AstraZeneca e a Pfizer) ou o vírus inteiro inativado (CoronaVac). “Hoje já existe um teste de alta sensibilidade e especificidade para identificar se o paciente produziu anticorpos neutralizantes após a vacina. Chamado de teste de anticorpos neutralizantes totais, ele apresenta uma informação interessante para quem já teve a doença ou para quem tomou a vacina e quer saber se passou a produzir estes anticorpos com capacidade de neutralizar o vírus. Para realizar o teste é necessário colher uma simples amostra de sangue. Inclusive, eu mesmo já realizei o teste e confirmei que iniciei a produção de anticorpos após a vacina.”

Entretanto, nem sempre isso ocorre em todos os pacientes e ainda não se sabem exatamente os motivos. Além dos anticorpos neutralizantes existem outros mecanismos de proteção para os quais ainda não existem testes de avaliação no momento. Por essa razão, mesmo que o indivíduo não tenha formado anticorpos, não significa necessariamente que ele esteja desprotegido. “Agora, se os anticorpos foram formados, já é um bom indício de que houve uma resposta significativa do sistema imune e há grande probabilidade de não desenvolver quadros graves”, reforça o especialista.

Ainda segundo Aita, apesar de já existirem exames sorológicos para a COVID-19 há algum tempo, como os testes para IgG, IgM e IgA, eles são capazes de detectar o desenvolvimento de anticorpos contra o vírus, mas não são específicos para os neutralizantes de SARS-CoV-2.

Entenda o teste neutralizante

O teste é feito pelo método de enzimaimunoensaio (ELISA) e tem como objetivo a detecção de anticorpos neutralizantes do SARS-CoV-2. Ele se baseia na capacidade dos anticorpos presentes na amostra de soro do paciente bloquearem a ligação do domínio RBD (Receptor Binding Domain) da proteína Spike do vírus, no receptor celular ECA2 (Enzima Conversora de Angiotensina 2), simulando in vitro a neutralização do vírus. Os estudos de desempenho do teste mostram em torno de 96,7% de especificidade e 98,7% de sensibilidade a partir de 15 dias do início da infecção. Para avaliação da resposta de produção de anticorpos neutralizantes após a vacina, o recomendado é realizar o teste a partir de 15 dias depois da segunda dose.

Resultados inferiores a 20% indicam ausência ou quantidade muito baixa, enquanto os resultados iguais ou superiores a 20% mostram a presença de anticorpos neutralizantes para o SARS-CoV-2.

Porém, é importante ressaltar que o resultado do teste não comprova o desenvolvimento de resposta imune protetora ao vírus. Como os níveis de anticorpos protetores na doença ainda não são conhecidos, com o resultado do teste pode-se afirmar apenas se o indivíduo desenvolveu anticorpos neutralizantes e a sua taxa.

Sobre o Diagnósticos do Brasil

Fundado em 2011, o Diagnósticos do Brasil (DB) é o único laboratório exclusivamente de apoio no mercado brasileiro. Com foco no atendimento ao cliente, a empresa oferece diagnósticos em todas as áreas de análises clínicas, tais como biologia molecular, citometria de fluxo, imunologia, bioquímica, urinálise, hormônios, marcadores tumorais e cardíacos, parasitologia, entre outros.

O DB conta com três unidades de análises clínicas descentralizadas, localizadas em São José dos Pinhais (PR), Recife (PE) e Sorocaba (SP), além de três unidades especializadas, o DB Toxicológico, o DB Molecular e o DB Patologia, totalizando uma estrutura de 26 mil m2. O laboratório dispõe, ainda, de unidades regionais de apoio (URAs) distribuídas por todo o Brasil.


Advogado tributarista alerta: ‘A Receita Federal está de olho no seu PIX’


O PIX, sistema que permite transferências e pagamentos eletrônicos a qualquer hora do dia, já responde por mais da metade das transferências bancárias, segundo dados do Banco Central. A dúvida é: a Receita Federal pode usar o PIX para investigar seus bens e verificar suas movimentações financeiras?

Segundo o advogado tributarista, Eliézer Marins, a resposta para a questão é que não pode, direta e automaticamente, já que as transferências feitas pelo sistema estão protegidas pela lei do sigilo bancário.

“É necessária uma ordem judicial ou um procedimento administrativo para a Receita poder ver suas movimentações no PIX, assim como já acontece em transferências feitas por TED e DOC. Pelo procedimento administrativo, o contribuinte é intimado a apresentar os extratos bancários”, pontua o advogado.

Segundo Eliézer, ainda que não haja fiscalização de transferências individuais, os bancos enviam para a Receita Federal um consolidado com valores movimentados nos últimos 5 anos.

“Não só do famoso PIX, mas de todas as operações dos contribuintes, portanto a Receita já sabe e vai continuar sabendo qual é o valor movimentado por você pelos bancos – não importa o meio (TED, Doc ou Pix). E o ministro da Economia, Paulo Guedes, já disse que pode usar o Pix para cobrar um imposto similar à antiga CPMF”, explica.

Segundo o especialista, na verdade, o Leão usa todos os agentes financeiros, seguradoras, bancos, corretoras, fundos de aposentadoria, entre outros, para saber toda a movimentação financeira de cada CNPJ ou CPF. A informação é mensal e envolve movimentações superiores a R $2.000 para pessoa física e R $5.000 para as pessoas jurídicas.

“As consequências dessa medida para as pessoas honestas é o risco de malha fina ou questionamento da Receita sobre movimentações ou saldos errados, informados por descuido ou engano. Quem sonegar impostos terá de justificar o patrimônio descoberto e provavelmente terão que arcar com os custos dos impostos e multas, que chegam a triplicar o valor original”, afirma.

O advogado fez recomendações para que não se caia por descuido ou sem má fé na malha fina.

“No caso de pessoas físicas, é importante manter consigo controles como talões de cheques, Docs, Teds e extratos bancários mensais, cópias das declarações de IR, comprovantes de pagamentos a terceiros, extratos de cartões de crédito, informes de rendimentos do empregador etc. Mantenha-os por pelo menos seis anos.As transferências entre familiares, dependentes ou não, ou a qualquer outra conta corrente, deverão ser também registradas, e os documentos comprobatórios, guardados”, esclarece.

Marins afirma que as pessoas jurídicas, tanto optante pelo Simples quanto pelo Lucro Presumido ou Real, a partir de agora, para o esclarecimento de qualquer questionamento, será fundamental o balanço contábil dessas empresas, além da declaração de imposto de renda jurídica bem detalhada e conciliada com os dados contábeis.

Apesar de não poder examinar as transferências individuais dos contribuintes feitas pelo Pix, por TED ou por DOC, a Receita Federal recebe das instituições financeiras os valores globais consolidados das movimentações financeiras dos contribuintes.

“Com isso, a Receita já possui acesso à movimentação financeira e saldos dos contribuintes que são declarados pelas próprias instituições financeiras ao Fisco sem detalhar se foram feitas por TED, DOC e agora pelo Pix”, completa.

A Receita Federal por meio de uma IN “lei” que ela mesma criou tem acesso à tudo e a todas operações, eles se baseiam na

Instrução Normativa 1.571 de 03 de julho de 2015.

Sobre Eliézer Marins

Eliézer Marins, advogado formado pela Universidade de Ribeirão Preto (UNAERP), com especialização em Direito Tributário, atua no mercado com consultoria empresarial e tributária. 

CEO do Grupo Marins, que atua na gestão, consultoria e auditoria de recursos financeiros, patrimoniais e questões tributárias para grandes empresas –


Procon-BA notifica iFood e investiga prática abusiva no aplicativo


A Superintendência de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon-BA) notificou, na última segunda-feira (7), o fornecedor “iFood.com Agência de Restaurantes Online S.A.” para investigar o cometimento da prática abusiva conhecida como “venda casada”.

Chegou ao conhecimento do órgão fiscalizador que o aplicativo iFood, no oferecimento de produtos realizados em sua plataforma virtual, estipulava valor mínimo para aquisição destes, ou seja, imputava ao consumidor a compra de uma quantidade acima do que era desejado.

O Código de Defesa do Consumidor proíbe o fornecedor de, sem justa causa, impor limites quantitativos de contratação. Tal prática abusiva é popularmente conhecida como “venda casada”.

O fornecedor deverá prestar esclarecimentos ao órgão da Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS) sobre quais as justificativas para a imposição de “pedido mínimo” nas compras realizadas junto a fornecedores cadastrados no aplicativo e quais as regras contratuais estabelecidas aos fornecedores situados na Bahia, em relação à oferta de produtos e serviços, dentre outros questionamentos e pedido de apresentação de documentos.

O fornecedor recebeu um prazo de 15 (dias para responder e apresentar os documentos ao órgão fiscalizador. Se autuado o iFood responderá a processo administrativo, podendo sofrer multas e sanções, de acordo com as regras estabelecidas no Código de Defesa do Consumidor.

As denúncias ao Procon podem ser feitas através do aplicativo PROCON BA MOBILE ou pelo e-mail: [email protected]


ANTT apreende seis ônibus fazendo transporte não autorizado na Bahia



A agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), informou nesta quarta-feira, 09 de junho de 2021,que entre os dias 02 e 07 de junho realizou operação de combate ao transporte interestadual de passageiros remunerado, não autorizado pela Agência, na Bahia.

Os trabalhos tiveram apoio da Agência Estadual de Regulação de Energia, Transportes e Comunicações da Bahia (AGERBA), das polícias Militar da Bahia e Rodoviária Federal,

A operação, durante o período de feriado de Corpus Christi, apreendeu veículos e fiscalizou guichês nas cidades baianas de Camaçari, Euclides da Cunha e Vitória da Conquista, segundo nota da ANTT.

Balanço da operação:

– Veículos abordados: 40 (seis apreendidos)

– Passageiros envolvidos: 250

– Guichês fiscalizados: 10 (um interditado)

– Autos de infração lavrados: 25

A agência informou ainda que passageiros dos veículos flagrados irregulares foram encaminhados para os terminais rodoviários próximos para dar continuidade às viagens, em empresas regulares e tiveram as despesas custeadas pelas empresas infratoras.

“A ANTT alerta a todos dos riscos que envolvem uma viagem em um transporte não autorizado, justamente pela precariedade dos veículos, que não oferecem segurança, com motoristas cansados, ou não treinados, e pelo aumento no risco de contágio pela COVID-19. Fiscais constatam que, geralmente, nesse tipo de transporte, as orientações sanitárias não são seguidas”. – diz ainda a nota.


Feirão Digital da Caixa terá mais de 180 mil imóveis a partir de R$ 90 mil


O 1º Feirão Digital Caixa da Casa Própria, que será realizado entre os dias 25 de junho a 4 de julho e terá a participação de mais de 600 contrutoras, terá mais de 180 mil imóveis com preços a partir de R$ 90 mil em todo o território brasileiro.

Com a pandemia, a migração do evento para o modelo digital foi necessária e para adquirir a casa própria, os interessados deverão escolher o imóvel entre as opções listadas no site, fazer a simulação do financiamento e ser atendido por correspondentes do banco via chat.

De acordo com a Caixa, mais de 6.000 imóveis retomados com condições especiais de financiamento, até 100% do imóvel dentro do SBPE (Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo), uma linha de crédito destinada à compra de imóveis ou terrenos, também estarão disponíveis durante o evento.

“A partir de agora, todos os imóveis retomados serão financiados desta maneira. Em vez de irmos a leilão, gastarmos com uma série de questões operacionais, nós faremos desta maneira”, afirmou o presidente da Caixa, Pedro Guimarães.

É esperado que o Feirão oferte mais de 4 mil imóveis em Salvador e Região Metropolitana, Santo Antônio de Jesus e Vitória da Conquista.

Fonte: A TARDE


Vitória da Conquista registra 107 novos casos e três óbitos por Covid-19


Nesta terça-feira (8), a Secretaria de Municipal de Saúde (SMS) confirmou 107 novos casos de Covid-19 em Vitória da Conquista e o total passa a 30.019, dos quais 28.969 estão recuperados, 499 evoluíram para óbito e 551 estão em recuperação (50 estão internados e 501 estão em tratamento domiciliar).

Outros 2.667 casos aguardam classificação final (investigação clínico-epidemiológico e/ou laboratorial).

A SMS confirmou mais três óbitos, sendo um deles ocorrido ontem (7) e dois nos dias 2 e 3 de junho.

497º óbito – Homem de 62 anos, morador do bairro Jurema, com Hipertensão Arterial e Acidente Vascular Encefálico. Ele estava internado no Hospital São Vicente desde o dia 4 de abril e foi a óbito no dia 3 de junho.

498º óbito – Mulher de 43 anos, moradora do bairro Brasil, com Diabetes Mellitus, e que também estava internada no Hospital São Vicente desde 7 de abril, indo a óbito no dia 2 de junho.

499º óbito – Homem de 46 anos, morador do bairro Felícia, com Obesidade e Hipertensão Arterial Sistêmica. O paciente estava internado no Hospital de Clínicas de Conquista (HCC) desde 7 de abril e veio a óbito no dia 7 de junho.

Ocupação dos leitos: Neste momento, 97 pessoas estão internadas em parte dos 148 leitos disponíveis para a Covid-19 (78 enfermarias e 70 leitos de Unidade de Terapia Intensiva). Além de Vitória da Conquista, estão internados os pacientes dos seguintes municípios: Anagé, Barra da Estiva, Barra do Choça, Belo Campo, Bom Jesus da Lapa, Boquira, Caturama, Condeúba, Dom Basílio, Encruzilhada, Feira da Mata, Guanambi, Iguaí, Itambé, Itapetinga, Ituaçu, Jânio Quadros, Livramento de Nossa Senhora, Maetinga, Mirante, Pindaí, Planalto, Poções, Riacho de Santana e Tremedal, além de Guarulhos e Ribeirão Preto – SP e Fortaleza – CE.


Ainda sem data, Prefeitura anuncia vacinação de jornalistas de todas as idades


A Secretaria de Saúde de Vitória da Conquista anunciou que  programa a vacinação dos profissionais de jornalismo que estiverem cadastrados e que atendam aos critérios da conforme a Resolução nº 085/2021 da Comissão Intergestores Bipartite (CIB).  A SMS afirmou que aguarda uma nova remessa de doses de vacina contra a Covid-19 que será enviada pela Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab), ainda esta semana, mas não informou previsão de datas.

Ainda de acordo com a Prefeitura de Conquista, a ação de anunciar a imunização dos profissionais de comunicação foi resultado da mobilização da categoria, tendo à frente o Sindicato dos Jornalistas da Bahia (Sinjorba), que tem como delegada em Vitória da Conquista a fotógrafa Edna Nolasco. Ela esteve com a prefeita Sheila Lemos esta semana e defendeu também a ampliação do público além do critério dos 40 anos ou mais, como está na resolução da CIB.

“O pleito da delegada sindical será atendido, de acordo com a chegada de doses suficientes, considerando que ainda há públicos prioritários como os trabalhadores da Saúde aguardando a suplementação de doses, já que a quantidade desses profissionais no município é maior que o estimado pelo Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações (SIPNI), utilizado pela Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab)”, disse a SMS.

Vacina da Pfizer

A SMS esclareu ainda  que embora seja do conhecimento de que a vacina [da Pfizer] já chegou ao Núcleo Regional de Saúde (NRS), até a noite desta terça-feira (08), o quantitativo de apenas 972 doses ainda não tinha sido repassado à Secretaria Municipal de Saúde (SMS).

A previsão é de que o recebimento ocorra nesta quarta-feira (9) e as doses da vacina Pfizer sejam utilizadas, exclusivamente, na imunização de gestantes e puérperas.

OUÇA ABAIXO ENTREVISTA EXCLUSIVA CEDIDA AO NOSSO BLOG PELA SECRETÁRIA DE SAÚDE RAMONA CERQUEIRA EXPLICANDO COMO FUNCIONA A ESTRATÉGIA DE PROGRAMAÇÃO DE IMUNIZAÇÃO DOS GRUPOS PRIORITÁRIOS:

 

No Bahia Meio Dia, terça-feira (08/06), o jornalista e apresentador Judson Almeida citou que outras cidades baianas iniciaram a vacinação dos jornalistas e a repórter Ariela Bonfim leu uma nota enviada pela Sesab que delega a responsabilidade pela imunização da categoria à Prefeitura de Conquista. “Prefeitura tem autonomia para decidir sobre a vacinação”, relatou.

SINJORBA FEZ CARTA ABERTA A PREFEITA SHEILA LEMOS

Na segunda-feira (07) a diretoria de Vitória da Conquista do Sindicato dos Jornalistas da Bahia, divulgou nest uma carta aberta (leia a íntegra no final da matéria) direcionada à prefeita Sheila Lemos (DEM), solicitando o início imediato da vacinação contra Covid-19 dos profissionais de imprensa de Vitória da Conquista.

CARTA ABERTA A PREFEITA DE VITÓRIA DA CONQUISTA SRA. SHEILA LEMOS

Vitória da Conquista 7 de junho de 2021.

Digna prefeita, Sheila Lemos.

Nós, profissionais de imprensa de Vitória da Conquista convidamos ao executivo municipal, uma reflexão sobre o papel e a vulnerabilidade da imprensa frente à crise sanitária que acomete nosso país. Mais do que isso, convidamos a buscar entender, junto conosco, como podemos ser essenciais para levar a informação ao cidadão e servir à sociedade, mas não sermos igualmente reconhecidos como essenciais no processo de vacinação, para garantir maior segurança no exercício da nossa missão
social.

“Não queremos essencialidade pra morrer”.

Essa frase do presidente do Sindicato dos Jornalistas da Bahia (Sinjorba), Moacy Neves, soou como a libertação para o grito que estava preso na garganta de todo trabalhador de comunicação que sai de casa todos os dias para levar informação séria e de qualidade para a população, para combater fake news e evitar o caos que a desinformação provoca.

Os profissionais de imprensa estão morrendo. Morrendo por estarem na linha de frente no combate à pandemia. Certamente a senhora sabe, mas 222 comunicadores perderam a luta para a Covid-19 no Brasil. Outras centenas adoeceram. Na Bahia, somamos 26 jornalistas e radialistas mortos, vítimas do coronavírus. Dois deles morreram há uma semana.

Em Camaçari, a vida do colega e auxiliar da TV Câmara, Roberto Lomanto, também foi ceifada pela Covid-19. Aqui temos o repórter cinematográfico Nilton Dalambert na UTI do HCC, com 50% dos pulmões comprometidos. A Comissão Intergestores Bipartite (CIB) corrigiu o erro cometido pelo governo federal, que, ironicamente, considera a classe essencial para estar na linha de frente da pandemia, e, no entanto, a renega na hora de reconhecer a essencialidade na prioridade da vacinação. Logo depois, o Tribunal de Justiça do Estado da Bahia (TJ-BA) reafirmou a decisão da CIB, reforçando o direito dos profissionais de imprensa de serem vacinados. Descumprir as determinações da CIB e do TJ-BA configura-se em grave erro, que acreditamos não ser prudente cometer, em hipótese nenhuma.

Com bom senso, vontade de fazer 52 municípios na Bahia, vacinaram toda a categoria nos últimos dois dias, sem limite de idade, incluindo Salvador, Feira de Santana, Lauro de Freitas, Dias d’Ávila, Alagoinhas, Senhor do Bonfim, Bom Jesus da Lapa, Luiz Eduardo Magalhães e Serrinha. Tantas outras deram a largada, a exemplo do nosso município, que teve a iniciativa, do legislativo, com a indicação do vereador Luciano Gomes, recebida com unanimidade por todos os vereadores.

Acertadamente, esses municípios seguem a determinação da CIB, organização que tem autonomia para tomar decisões sobre a política de vacinação no Estado. É inadmissível que Vitória da Conquista, com a relevância que possui, fique de fora desse movimento de restauração do direito da categoria. Não podemos aguardar cadastro ser efetivado em quinze dias, precisamos de vacina Já. Salvador usou os dados cadastrais do Sinjorba e não solicitou número de cadastro do SUS, pensando na celeridade da ação.

É por isso que viemos, por meio desta carta aberta, convidá-lo a refletir, abrir os olhos e enxergar a relevância da imprensa e o papel que temos desempenhado nesse momento tão crítico para toda a sociedade. Como profissionais de comunicação,
estamos onde a notícia está, e isso inclui as portas de emergência de hospitais, delegacias, cemitérios e, sim, as redações e estúdios, a base para onde retornamos após a apuração das matérias, expondo, igualmente, os nossos colegas de trabalho que
ficam na retaguarda.

Não queremos privilégios, queremos respeito e a manutenção do nosso direito. Por isso, solicitamos o início imediato da vacinação contra Covid-19 dos profissionais de imprensa de Vitória da Conquista.

Acredite, o número de doses destinadas à categoria será pequeno, cerca de 180 doses, são os mesmos profissionais que foram vacinados em 2020 contra a gripe Influenza , ação que foi um sucesso. Grande serão os resultados, frente ao impacto sanitário que a imunização trará com a diminuição do risco de contaminação a que os profissionais são expostos diariamente.

Cordialmente,

Coletivo de profissionais de imprensa de Vitória da Conquista

Edna Santos Nolasco
Diretoria do Sinjorba Sudoeste

 


Secretaria de Saúde informa fim de doses em alguns pontos de vacinação


A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) informa que as doses de vacina já acabaram em alguns pontos de vacinação, incluindo a Paróquia Rainha da Paz, Colégio Paulo VI e Paróquia Santa Luzia.

A situação deverá se repetir em todos os pontos antes do fim do dia.

Com o fim do estoque, a vacinação será suspensa nesta quarta-feira (9), com exceção de acamados e doentes domiciliados e da zona rural. A SMS aguarda uma nova reposição de doses, ainda sem previsão de recebimento, para dar continuidade à vacinação no município.


Educação institui comissão para avaliar o funcionamento das escolas municipais


Com a finalidade de melhor avaliar as unidades de ensino da Rede Municipal, a Secretaria Municipal de Educação (Smed) instalou a Comissão de Monitoramento, Fiscalização, Avaliação do Funcionamento e Legalização das Unidades de Ensino vinculadas ao Sistema Municipal de Educação de Vitória da Conquista.

A comissão tem o caráter intersetorial e é composta por membros de várias secretarias municipais de governo como: Infraestrutura Urbana, Saúde, Administração, além da própria Smed, e fará o monitoramento das unidades, emitindo periodicamente relatórios ao secretário Municipal de Educação e ao Núcleo de Legalização Escolar. A comissão será presidida por Marco Vinicius Lopes, que atua no setor de Infraestrutura Escolar da Smed.

“Essa comissão terá um papel fundamental no desenvolvimento dos processos de educação do município, principalmente a partir do retorno das aulas presenciais”, declara o secretário da pasta, Edgard Larry.

Outra atribuição será a organização dos documentos e o encaminhamento dos mesmos ao Conselho Municipal de Educação para autorização ou renovação de funcionamento das unidades “A partir destes relatórios será feito um acompanhamento meticuloso do funcionamento da rede, tendo em vista a regularidade documental das escolas”, complementa o secretário Larry.

Todas as competências da Comissão, bem como a nomeação dos seus membros, estão dispostos na Portaria nº 016/2021, de 28 de maio de 2021.


Em Carta Aberta, Sinjorba cobra cumprimento da resolução que determina a vacinação de jornalistas


A diretoria de Vitória da Conquista do Sindicato dos Jornalistas da Bahia, divulgou nesta segunda-feira (07) uma carta aberta (leia a íntegra no final da matéria) direcionada à prefeita Sheila Lemos (DEM), solicitando o início imediato da vacinação contra Covid-19 dos profissionais de imprensa de Vitória da Conquista.

O pedido tem respaldo na resolução 085/2021 da Comissão Intergestores Bipartite (CIB), que determinou a inclusão destes profissionais que atuam em hospitais, delegacias e diversos locais públicos. A carta, assinada pela jornalista Edna Nolasco, lembra que “o Tribunal de Justiça do Estado da Bahia (TJ-BA) reafirmou a decisão da CIB, reforçando o direito dos profissionais de imprensa de serem vacinados e que descumprir as determinações da CIB e do TJ-BA configura-se em grave erro”

“A vacinação dependerá do envio das doses por parte da Sesab”, diz Prefeitura

A prefeitura tem argumentado que nem sempre é possível incluir de imediato no cronograma de vacinação os novos grupos prioritários determinados pela CIB pois a Sesab, do governo do Estado, manda um quantitivo de vacina insuficiente e que além disso, é preciso que venha escrito na nota fiscal, quais grupos devem ser contemplados com a remessa.

Ainda nesta segiunda-feira (07), a Prefeitura divulgou um link para o cadastro, “apenas trabalhadores que ainda não se vacinaram e que se enquadrem no normativo da CIB 085/2021, que autoriza a vacinação de profissionais do setor com 40 anos de idade ou mais”. O link ficará disponível por 15 dias e as informações servirão de base para que a SMS possa conhecer o quantitativo populacional e traçar as estratégias de imunização do município, a ser aplicada logo que cheguem as doses necessárias.

LEIA ABAIXO A CARTA DO SINJORBA DE CONQUISTA:

CARTA ABERTA A PREFEITA DE VITÓRIA DA CONQUISTA SRA. SHEILA LEMOS

Vitória da Conquista 7 de junho de 2021.

Digna prefeita, Sheila Lemos.

Nós, profissionais de imprensa de Vitória da Conquista convidamos ao executivo municipal, uma reflexão sobre o papel e a vulnerabilidade da imprensa frente à crise sanitária que acomete nosso país. Mais do que isso, convidamos a buscar entender, junto conosco, como podemos ser essenciais para levar a informação ao cidadão e servir à sociedade, mas não sermos igualmente  reconhecidos como essenciais no processo de vacinação, para garantir maior segurança no exercício da nossa missão
social. 

“Não queremos essencialidade pra morrer”. 

Essa frase do presidente do Sindicato dos Jornalistas da Bahia (Sinjorba), Moacy Neves, soou como a libertação para o grito que estava preso na garganta de todo trabalhador de comunicação que sai de casa todos os dias para levar informação séria e de qualidade para a população, para combater fake news e evitar o caos que a desinformação provoca.

Os profissionais de imprensa estão morrendo. Morrendo por estarem na linha de frente no combate à pandemia. Certamente a senhora sabe, mas 222 comunicadores perderam a luta para a Covid-19 no Brasil. Outras centenas adoeceram. Na Bahia, somamos 26 jornalistas e radialistas mortos, vítimas do coronavírus. Dois deles morreram há uma semana. 

Em Camaçari, a vida do colega e auxiliar da TV Câmara, Roberto Lomanto, também foi ceifada pela Covid-19. Aqui temos o repórter cinematográfico Nilton Dalambert na UTI do HCC, com 50% dos pulmões comprometidos. A Comissão Intergestores Bipartite (CIB) corrigiu o erro cometido pelo governo federal, que, ironicamente, considera a classe essencial para estar na linha de frente da pandemia, e, no entanto, a renega na hora de reconhecer a essencialidade na prioridade da vacinação. Logo depois, o Tribunal de Justiça do Estado da Bahia (TJ-BA) reafirmou a decisão da CIB, reforçando o direito dos profissionais de imprensa de serem vacinados. Descumprir as determinações da CIB e do TJ-BA configura-se em grave erro, que acreditamos não ser prudente cometer, em hipótese nenhuma. 

Com bom senso, vontade de fazer 52 municípios na Bahia, vacinaram toda a categoria nos últimos dois dias, sem limite de idade, incluindo Salvador, Feira de Santana, Lauro de Freitas, Dias d’Ávila, Alagoinhas, Senhor do Bonfim, Bom Jesus da Lapa, Luiz Eduardo Magalhães e Serrinha. Tantas outras deram a largada, a exemplo do nosso município, que teve a iniciativa, do legislativo, com a indicação do vereador Luciano Gomes, recebida com unanimidade por todos os vereadores.

Acertadamente, esses municípios seguem a determinação da CIB, organização que tem autonomia para tomar decisões sobre a política de vacinação no Estado. É inadmissível que Vitória da Conquista, com a relevância que possui, fique de fora desse movimento de restauração do direito da categoria. Não podemos aguardar cadastro ser efetivado em quinze dias, precisamos de vacina Já. Salvador usou os dados cadastrais do Sinjorba e não solicitou número de cadastro do SUS, pensando na celeridade da ação.

É por isso que viemos, por meio desta carta aberta, convidá-lo a refletir, abrir os olhos e enxergar a relevância da imprensa e o papel que temos desempenhado nesse momento tão crítico para toda a sociedade. Como profissionais de comunicação,
estamos onde a notícia está, e isso inclui as portas de emergência de hospitais, delegacias, cemitérios e, sim, as redações e estúdios, a base para onde retornamos após a apuração das matérias, expondo, igualmente, os nossos colegas de trabalho que
ficam na retaguarda. 

Não queremos privilégios, queremos respeito e a manutenção do nosso direito. Por isso, solicitamos o início imediato da vacinação contra Covid-19 dos profissionais de imprensa de Vitória da Conquista. 

Acredite, o número de doses destinadas à categoria será pequeno, cerca de 180 doses, são os mesmos profissionais que foram vacinados em 2020 contra a gripe Influenza , ação que foi um sucesso. Grande serão os resultados, frente ao impacto sanitário que a imunização trará com a diminuição do risco de contaminação a que os profissionais são expostos diariamente.

Cordialmente,

Coletivo de profissionais de imprensa de Vitória da Conquista

Edna Santos Nolasco
Diretoria do Sinjorba Sudoeste